Hospital de Santa Marta já colocou "corações artificiais" em 15 crianças
DATA
18/11/2019 12:41:09
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS

Hospital de Santa Marta já colocou "corações artificiais" em 15 crianças

Quinze crianças que nasceram com problemas cardíacos graves receberam nos últimos 15 anos, no Hospital Santa Marta, em Lisboa, um “coração artificial externo” que lhes permitiu viver até recuperarem ou fazer o transplante.

Estes aparelhos de assistência ventricular foram aplicados pela primeira vez em crianças em Portugal, em 2004, no Serviço de Cardiologia Pediátrica do Hospital Santa Marta, criado há 50 anos pela cardiologista Fernanda Sampaio, e pioneiro no país.

Em entrevista à agência Lusa, a responsável pelo Programa de Transplante Cardíaco do Hospital Santa Marta, Conceição Trigo, explicou que este sistema mecânico que apoia a circulação é aplicado quando “o coração entra em falência” e deixa de ser capaz de suportar a vida das crianças.

Com este sistema, a criança fica estável e pode fazer a sua vida dentro de determinados limites, enquanto “o coração recupera completamente” ou até encontrar um dador para fazer uma transplantação cardíaca, disse a cardiologista pediátrica.

No Hospital Santa Marta, já foram sujeitos a este tratamento 15 doentes desde os primeiros meses de vida, o mais pequeno tinha cerca de dois meses, até aos 18 anos.

O Novo Livro Azul tem um passado e um futuro a defender e a promover num novo ciclo
Editorial | Jornal Médico
O Novo Livro Azul tem um passado e um futuro a defender e a promover num novo ciclo

O Novo Livro Azul da APMGF é um desejo e uma necessidade. Volvidos 30 anos é fácil constatar que todos os princípios e valores defendidos no Livro Azul se mantêm incrivelmente atuais, apesar da pertinência do rejuvenescimento que a passagem dos anos aconselha. É necessário pensar, idealizar e projetar a visão sobre os novos centros de saúde, tendo em conta a realidade atual e as exigências e necessidades sentidas no futuro que é já hoje. Estamos a iniciar um novo ciclo!

Mais lidas