Aumento da despesa com medicamentos deve-se à Oncologia
DATA
03/12/2019 15:37:27
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



Aumento da despesa com medicamentos deve-se à Oncologia

Tendo em conta o aumento da despesa com medicamentos em 2018, face a 2017, o INFARMED, I.P. esclarece que esta decorreu essencialmente, do aumento da despesa com medicamentos oncológicos (58M€ - mais de 50% do valor total), que tem sido a área onde se tem observado um crescendo na inovação terapêutica.

Este aumento no acesso à inovação traduz-se em melhores resultados em saúde, com mais doentes em tratamento, com o alargamento das opções terapêuticas disponíveis e também uma utilização mais prolongada destes medicamentos.

Para além da oncologia, a área das doenças neurodegenerativas, como a esclerose múltipla, e a área hematológica também tiveram uma contribuição para o aumento da despesa.

É de frisar que “num contexto de importantes desenvolvimentos clínicos que introduzem desafios ao sistema de saúde, o acesso a novos medicamentos no Serviço Nacional de Saúde (SNS) aumentou de modo significativo, com mais de 150 novos medicamentos introduzidos entre 2016 e 2018. Destacamos ainda a introdução no arsenal terapêutico português de 65 novos medicamentos já em 2019”, revela em comunicado o INFARMED, I.P.

Na área da dispensa de medicamentos em ambulatório, o aumento esteve em linha com o crescimento da utilização dos medicamentos em geral, bem como dos medicamentos inovadores, decorrendo essencialmente de terapêuticas para a diabetes (25M€), doenças cardiovasculares e respiratórias.

“De assinalar que houve um importante contributo para atenuar o crescimento da despesa com medicamentos, com a introdução de genéricos na área do VIH/SIDA, que permitiu uma poupança de 16M€, e medicamentos biossimilares para o tratamento de doenças autoimunes”, refere o mesmo comunicado.

Assim, o INFARMED esclarece que o aumento nos encargos do SNS com medicamentos de 2017 para 2018 foi de 109 milhões de euros, e não o valor anteriormente divulgado que se deveu a um erro no carregamento das secções do documento “Estatística do Medicamento e Produtos de Saúde 2018” a partir da informação já existente.

Esta compilação de informação, agora publicada no website do INFARMED, encontra-se em linha com os valores já anteriormente constantes dos relatórios mensais de Monitorização do Consumo de Medicamentos em meio ambulatório e hospitalar (cf. relatórios de dezembro de 2017 e 2018.

2020: Linhas de provocação de uma nova década com novas obrigações para novos contextos
Editorial | Rui Nogueira
2020: Linhas de provocação de uma nova década com novas obrigações para novos contextos

Este ano está quase a terminar e uma nova década vai chegar. O habitual?! Veremos! Na saúde temos uma viragem em curso e tal como há 40 anos, quando foi fundado o Serviço Nacional de Saúde (SNS), há novos enquadramentos, novas responsabilidades, novas ideias e novas soluções.

Mais lidas