Aumento da despesa com medicamentos deve-se à Oncologia
DATA
03/12/2019 15:37:27
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



Aumento da despesa com medicamentos deve-se à Oncologia

Tendo em conta o aumento da despesa com medicamentos em 2018, face a 2017, o INFARMED, I.P. esclarece que esta decorreu essencialmente, do aumento da despesa com medicamentos oncológicos (58M€ - mais de 50% do valor total), que tem sido a área onde se tem observado um crescendo na inovação terapêutica.

Este aumento no acesso à inovação traduz-se em melhores resultados em saúde, com mais doentes em tratamento, com o alargamento das opções terapêuticas disponíveis e também uma utilização mais prolongada destes medicamentos.

Para além da oncologia, a área das doenças neurodegenerativas, como a esclerose múltipla, e a área hematológica também tiveram uma contribuição para o aumento da despesa.

É de frisar que “num contexto de importantes desenvolvimentos clínicos que introduzem desafios ao sistema de saúde, o acesso a novos medicamentos no Serviço Nacional de Saúde (SNS) aumentou de modo significativo, com mais de 150 novos medicamentos introduzidos entre 2016 e 2018. Destacamos ainda a introdução no arsenal terapêutico português de 65 novos medicamentos já em 2019”, revela em comunicado o INFARMED, I.P.

Na área da dispensa de medicamentos em ambulatório, o aumento esteve em linha com o crescimento da utilização dos medicamentos em geral, bem como dos medicamentos inovadores, decorrendo essencialmente de terapêuticas para a diabetes (25M€), doenças cardiovasculares e respiratórias.

“De assinalar que houve um importante contributo para atenuar o crescimento da despesa com medicamentos, com a introdução de genéricos na área do VIH/SIDA, que permitiu uma poupança de 16M€, e medicamentos biossimilares para o tratamento de doenças autoimunes”, refere o mesmo comunicado.

Assim, o INFARMED esclarece que o aumento nos encargos do SNS com medicamentos de 2017 para 2018 foi de 109 milhões de euros, e não o valor anteriormente divulgado que se deveu a um erro no carregamento das secções do documento “Estatística do Medicamento e Produtos de Saúde 2018” a partir da informação já existente.

Esta compilação de informação, agora publicada no website do INFARMED, encontra-se em linha com os valores já anteriormente constantes dos relatórios mensais de Monitorização do Consumo de Medicamentos em meio ambulatório e hospitalar (cf. relatórios de dezembro de 2017 e 2018.

As certezas enganadoras sobre os Outros
Editorial | Mário Santos, membro da Direção Nacional da APMGF
As certezas enganadoras sobre os Outros

No processo de reflexão da minha prática clínica, levo em conta para além do meu índice de desempenho geral (IDG) e da satisfação dos meus pacientes, a opinião dos Outros. Não deixo, por isso, de ler as entrevistas cujos destaques despertam em mim o interesse sobre o que pensam e o que esperam das minhas funções, como médico de família. Selecionei alguns títulos divulgados pelo Jornal Médico, que mereceram a minha atenção no último ano: