Grupo de trabalho irá produzir manual de regras para melhorar acesso à formação médica
DATA
09/12/2019 16:02:09
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS




Grupo de trabalho irá produzir manual de regras para melhorar acesso à formação médica

Publicado hoje em Diário da República, o despacho, assinado pela ministra da Saúde, determina a constituição de um grupo de trabalho para produzir um manual de regras e procedimentos para o processo de avaliação da idoneidade e capacidades formativas médicas nas unidades do Serviço Nacional de Saúde (SNS).

A decisão vem no decorrer de uma auditoria externa, que recomendava a criação de um manual de regras e procedimentos. No relatório elaborado, divulgado na semana passada, apontavam-se falhas à Ordem dos Médicos (OM) por falta de uniformização e documentação do processo de avaliação, prejudicando a eficiência e objetividade.

No manual deverão constar tanto a definição dos modelos para os documentos de trabalho (como mapas de capacidades e os de vagas) nos diferentes níveis de processo e para as diferentes instituições envolvidas, com a da periodicidade obrigatória para revisão dos questionários e critérios. Para além disso, o documento deverá prever um cronograma da implementação de cada processo e uma proposta de informatização e registo de todas as iterações do processo.

O grupo de trabalho, constituído por elementos da OM, da Administração Central do Sistema de Saúde, do Conselho Nacional do Internato Médico e das comissões regionais do Internato Médico, tem até dia 1 de abril de 2020 para cumprir a sua função.

Recordando que “até 2016, o número de vagas disponibilizadas para formação médica especializada era idêntico ao número de médicos candidatos”, Marta Temido refere que só nesse ano, “pela primeira vez, houve médicos que não conseguiram vaga”.

800 milhões de euros para o Serviço Nacional de Saúde
Editorial | Jornal Médico
800 milhões de euros para o Serviço Nacional de Saúde

Se não os tivéssemos seria bem pior! O reforço do Programa Operacional da Saúde com 800 milhões de euros pode ser entendido como sinal político de valorização do setor da saúde. Será uma viragem na política restritiva? O Serviço Nacional de Saúde (SNS) de 40 anos precisa de cuidados intensivos! Há novos enquadramentos, novas responsabilidades, novas ideias e novas soluções. É urgente pensarmos na nova década com rigor e disponibilidade sincera.

Mais lidas