Estudantes de Medicina de Lisboa oferecem um “Natal Diferente” a doentes hospitalizados
DATA
10/12/2019 15:18:23
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS

Estudantes de Medicina de Lisboa oferecem um “Natal Diferente” a doentes hospitalizados

Todos os anos, no dia 24 de dezembro, estudantes de Medicina de Lisboa visitam e convivem com doentes internados.

São esperados mais de 600 voluntários em 22 hospitais do país. Algumas crianças desenham e oferecem mais de 2.500 postais aos doentes, como complemento da iniciativa.

O “Natal Diferente” decorre durante a manhã do dia 24 de dezembro, momento em que os estudantes de Medicina de Lisboa visitam os doentes hospitalizados em 22 hospitais do país e, por isso, impedidos de passar a quadra natalícia nos seus lares, na companhia da sua família e amigos.

Este ano serão oferecidos sorrisos aos doentes internados em hospitais das áreas de Lisboa, Almada, Beja, Leiria, Loures, Santarém, Setúbal, Vila Franca de Xira e na Madeira.

Esta iniciativa fomenta a partilha e o convívio ao mesmo tempo que proporciona animação – oferta de presentes, momentos musicais e humorísticos, ilusionismo, entre outros.

As crianças internadas nos serviços de Pediatria dos hospitais associados ao projeto, para além de receberem presentes das mãos dos estudantes, escrevem e desenham postais de Natal para oferecer aos doentes hospitalizados.

Este é um ritual anual que se realiza há mais de 20 anos e está tão bem implantando que os alunos de medicina são acompanhados pelos seus familiares e amigos durante a ação de voluntariado. Este ano são esperados mais de 600 voluntários que irão entregar mais de 2.500 postais desenhados pelas mãos dos mais pequenos.

Além disso, o projeto instala um marco de correio nos hospitais para receber mensagens de apoio da população que serão depois entregues no dia 24 de dezembro aos doentes hospitalizados. A iniciativa pretende aproximar a população dos doentes. Este projeto decorre em parceria com a Associação de Estudantes da NOVA Medical School | Faculdade de Ciências Médicas (AEFCM), abrangendo todos os estudantes de medicina da cidade de Lisboa.

800 milhões de euros para o Serviço Nacional de Saúde
Editorial | Jornal Médico
800 milhões de euros para o Serviço Nacional de Saúde

Se não os tivéssemos seria bem pior! O reforço do Programa Operacional da Saúde com 800 milhões de euros pode ser entendido como sinal político de valorização do setor da saúde. Será uma viragem na política restritiva? O Serviço Nacional de Saúde (SNS) de 40 anos precisa de cuidados intensivos! Há novos enquadramentos, novas responsabilidades, novas ideias e novas soluções. É urgente pensarmos na nova década com rigor e disponibilidade sincera.

Mais lidas