×

Alerta

JUser: :_load: Não foi possível carregar o utilizador com o ID: 34880
Até final de novembro nasceram mais de 80.700 bebés, recorde dos últimos cinco anos
DATA
19/12/2019 10:41:45
AUTOR
ETIQUETAS



Até final de novembro nasceram mais de 80.700 bebés, recorde dos últimos cinco anos

De acordo com os dados do Programa Nacional do Rastreio Neonatal, que cobre quase a totalidade dos nascimentos, até ao final de novembro nasceram 80.714 bebés em Portugal, atingindo um número recorde dos últimos cinco anos para igual período.

Coordenado pelo Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA), através da Unidade de Rastreio Neonatal, Metabolismo e Genética, o Programa Nacional do Rastreio Neonatal arrancou em Portugal em 1979 e até ao final de 2018 já foram rastreadas mais de 3,8 milhões de crianças. Dessas, diagnosticaram-se 779 casos de doenças metabólicas, 1.304 de hipotiroidismo congénito e 49 de fibrose quística.

Comummente designado “teste do pezinho”, realizado entre o terceiro e o sexto dia do bebé, o programa não é obrigatório, mas tem atualmente uma taxa de cobertura de 99,5%, com tempo médio de início do tratamento de 9,9 dias.

Em igual período – até final de novembro – tinham nascido 80.484 bebés no ano passado e 79.377 em 2017. Considerando a totalidade do ano, 2018 registou o valor mais alto dos últimos três anos, com 86.827 recém-nascidos estudados no âmbito do rastreio universal de saúde pública.

Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?
Editorial | Denise Cunha Velho
Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?

Sou do tempo em que, na Zona Centro, não se conhecia a grelha de avaliação curricular, do exame final da especialidade. Cada Interno fazia o melhor que sabia e podia, com os conselhos dos seus orientadores e de internos de anos anteriores. Tive a sorte de ter uma orientadora muito dinâmica e que me deu espaço para desenvolver projectos e actividades que me mantiveram motivada, mas o verdadeiro foco sempre foi o de aprender a comunicar o melhor possível com as pessoas que nos procuram e a abordar correctamente os seus problemas. Se me perguntarem se gostaria de ter sabido melhor o que se esperava que fizesse durante os meus três anos de especialidade, responderei afirmativamente, contudo acho que temos vindo a caminhar para o outro extremo.