Vacina contra meningite B vai ser gratuita durante primeiro ano de vida
DATA
27/12/2019 15:50:59
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


Vacina contra meningite B vai ser gratuita durante primeiro ano de vida

A vacina contra a meningite B será administrada de forma gratuita a partir do próximo ano a todas as crianças durante o primeiro ano de vida, anunciou hoje a Direção-Geral da Saúde (DGS).

Esta vacina, contra a doença invasiva meningocócica B, será dada aos dois, quatro e 12 meses e vai aplicar-se, a partir de outubro de 2020, a todos os nascidos a partir de 01 de janeiro de 2019.

Para os nascidos em 2019 o esquema de vacinação será iniciado ou completado de acordo com a história vacinal individual.

Segundo explicou à agência Lusa a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, as crianças que nasceram a partir de janeiro de 2019 poderão em outubro iniciar o esquema de vacinação e fazer as três doses da vacina caso ainda não tenham levado nenhuma.

Isto porque a vacina já é comercializada e administrada em Portugal atualmente, mas mediante o pagamento das famílias.

Assim, os nascidos durante este ano podem a partir de outubro iniciar ou completar o esquema de vacinação da meningite B de forma gratuita.

A vacina pode ser administrada até aos cinco anos, mas no novo Programa de Vacinação a iniciar em outubro de 2020 a recomendação da toma da vacina da meningite B será aos dois, quatro e 12 meses.

O Orçamento do Estado para 2020 contempla 11 milhões de euros para o alargamento do Programa de Vacinação.

Hoje, a diretora-geral de Saúde sublinhou que “foi com o aval” da comissão técnica que as vacinas serão introduzidas no PNV.

Urgências no SNS – só empurrar o problema não o resolve
Editorial | Gil Correia
Urgências no SNS – só empurrar o problema não o resolve

É quase esquizofrénico no mesmo mês em que se discute a carência de Médicos de Família no SNS empurrar, por decreto, os doentes que recorrem aos Serviços de Urgência (SU) hospitalares para os Centros de Saúde. A resolução do problema das urgências em Portugal passa necessariamente pelo repensar do sistema, do acesso e de formas inteligentes e eficientes de garantir os cuidados na medida e tempo de quem deles necessita. Os Cuidados de Saúde Primários têm aqui, naturalmente, um papel fundamental.