Coimbra acolhe instituto para estudar os processos biológicos do envelhecimento
DATA
20/01/2020 15:46:46
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



Coimbra acolhe instituto para estudar os processos biológicos do envelhecimento

Coimbra vai acolher o primeiro Instituto Multidisciplinar do Envelhecimento do sul da Europa, focado no estudo dos processos biológicos do envelhecimento, com um investimento total de 49 milhões de euros.

A apresentação decorre esta terça-feira, dia 21 de janeiro, em Coimbra, no Colégio da Trindade.

"O objetivo deste centro é perceber as bases moleculares do envelhecimento, que são o principal fator de risco para as doenças associadas ao envelhecimento", disse à agência Lusa o coordenador do projeto, Rodrigo Cunha.

O coordenador e investigador realça que o "envelhecimento da população constitui uma armadilha, na medida em que aumenta a esperança de vida, mas não aumenta paralelamente a qualidade de vida".

Nos dias de hoje, salienta, "existem mais pessoas a viverem mais tempo e cada vez com mais doenças associadas ao envelhecimento, como o cancro, diabetes, alzheimer e doenças cardiovasculares".

"Queremos perceber qual é o principal fator de risco para todas estas doenças do envelhecimento, quais são as bases biológicas e o que é que acontece dentro das nossas células para haver esta deterioração funcional", sublinhou.

Segundo Rodrigo Cunha, o Instituto Multidisciplinar do Envelhecimento pretende compreender as bases biológicas do envelhecimento para encontrar novas estratégias, que permitam viver com melhor qualidade durante mais tempo.

Além de estudar novos fármacos, o centro pretende desenvolver medidas profiláticas, como estratégias de estilo de vida, na alimentação e atividade controlada, que levem a uma melhor saúde ao longo da vida.

O Instituto Multidisciplinar do Envelhecimento vai ser instalado na Universidade de Coimbra, em parceria com o Centro de Neurociências e Biologia Celular de Coimbra, a Faculdade de Medicina, o Centro Hospitalar e Universidade de Coimbra, o Instituto Pedro Nunes e o parque tecnológico Biocant, reunindo, no total, 54 investigadores.

O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Editorial | Jornal Médico
O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Acertar procedimentos e aperfeiçoar métodos de trabalho. Encontrar uma nova visão e adotar uma nova estratégia útil na nossa prática clínica quotidiana. Valorizar as unidades de saúde por estarem a dar as respostas adequadas e seguras é o mínimo que se exige, mas é urgente e inevitável um plano de investimento nos centros de saúde do Serviço Nacional de Saúde.

Mais lidas