Governo afirma que modelo USF será generalizado ao longo da legislatura
DATA
11/02/2020 11:45:49
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS




Governo afirma que modelo USF será generalizado ao longo da legislatura

Cuidados de saúde primários mais acessíveis, maior oferta de valências médicas e instalações com melhores condições são três objetivos traçados pelo Governo. Como tal, o primeiro-ministro declarou ontem, durante a inauguração da USF da Batalha, no Porto, que ao longo da legislatura será generalizado o modelo das Unidades de Saúde Familiares (USF).

“A experiência está feita e os resultados são conhecidos”, destacou António Costa. O responsável esclarece que a experiência com o modelo USF tem sido positiva por diversos motivos, desde o trabalho de equipa e as sinergias que potencia, até à possibilidade de criar condições de maior atratividade e motivação para os profissionais de saúde, refletindo-se em melhores cuidados de saúde.

“Só há uma coisa a fazer, se correu bem: generalizar este modelo como o modelo de gestão ideal para todos os cuidados de saúde primários. É isso que iremos fazer ao longo desta legislatura”, realçou o governante.

Mencionando que “não basta colocar mais dinheiro no Serviço Nacional de Saúde (SNS)”, o primeiro-ministro evocou a gestão dos recursos como aspeto relevante. Nesse contexto, o primeiro-ministro lembrou que é prioritário continuar a investir nos cuidados de saúde primários como sendo uma “grande porta da entrada universal no SNS”. Desta forma também se irá incentivar a que os utentes “não corram para os hospitais” sempre que têm um problema.

Assim, o representante salientou o papel das USF como um local onde os utentes podem encontrar respostas às suas necessidades globais de cuidados, reservando para os hospitais os cuidados diferenciados.

“Este esforço é muito importante e tem de ser prosseguido, daí termos alargado as condições de acessibilidade, nomeadamente através da isenção das taxas moderadoras em todos os cuidados prestados nas unidades de saúde de cuidados primários”, conclui.

Pela mesma ocasião, a ministra da Saúde, Marta Temido, relembrou ainda que em 2019 foram realizadas 31,5 milhões de consultas médicas de cuidados primários no SNS, representando um crescimento de 3,5% relativamente ao ano de 2015. Sublinhou também que, na anterior legislatura, foram remodeladas ou construídas de raiz 69 unidades de cuidados de saúde primários, com "mais 13" a serem atualmente trabalhadas.

Deixar cair com violência o que é desnecessário e aproveitar a oportunidade
Editorial | Rui Nogueira, presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar
Deixar cair com violência o que é desnecessário e aproveitar a oportunidade

Assaltar o desnecessário. Rasgar a burocracia. Rejeitar o desperdício. Anular a perda de tempo. As aprendizagens da pandemia serão uma ótima oportunidade para acertar procedimentos e aperfeiçoar métodos de trabalho. O estado de emergência e o estado de calamidade ensinaram-nos muito! É necessário desconfinar o centro de saúde e reinventar o conceito com unidades de saúde aprendentes e inovadoras.

Mais lidas