"Bolsas de Cidadania Roche" premeiam os melhores projetos de capacitação de doentes
DATA
26/02/2020 12:45:31
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



"Bolsas de Cidadania Roche" premeiam os melhores projetos de capacitação de doentes

As candidaturas para a sexta edição das “Bolsas de Cidadania Roche” já estão abertas. As seis iniciativas que se destaquem na área da promoção da saúde, no sentido de suportar e capacitar o doente, irão ser premiadas com bolsas de apoio.

Enquadrada na Política de Responsabilidade Social da empresa, a iniciativa reconhece projetos e ideias de associações de doentes e outras organizações não governamentais que sejam capazes de fomentar a participação dos cidadãos e dos doentes nos processos de decisão em saúde, incluindo as decisões individuais de tratamento, bem como de informar os doentes dos seus direitos de acesso à informação, estimulando a literacia em saúde.

No total, serão oferecidas seis bolsas de apoio, com financiamento total de 60 mil euros. As candidaturas, cujos requisitos estão disponíveis no regulamento, estão abertas até dia 31 de abril e serão analisadas e avaliadas por um júri independente – com um mínimo de cinco elementos –, que decidirá os vencedores.

Na edição passada, a Roche atribuiu bolsas aos seguintes projetos: “Aplicação móvel do doente renal crónico”, da Associação Portuguesa de Insuficientes Renais; “Saúde Mental, vamos descomplicar?”, do Instituto das Irmãs Hospitaleiras do Sagrado Coração de Jesus; “Capacitação para a Literacia na área das demências”, da entidade Alzheimer Portugal; “JCI- Jovens pela cidadania inclusiva”, da Associação Spina Bífida e Hidrocefalia de Portugal; “Criação canal Youtube APDI Canal”, da Associação Portuguesa da Doença Inflamatória do Intestino, Colite Ulcerosa, Doença de Crohn; e  “A voz da EM”, da Associação Nacional de Esclerose Múltipla.

DESconfinar sem DISconfinar: Um desafio para inovar e aproveitar a oportunidade
Editorial | Rui Nogueira, Médico de Família e presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar
DESconfinar sem DISconfinar: Um desafio para inovar e aproveitar a oportunidade
Depois de três meses de confinamento é necessário aceitarmos a prudência de DES”confinar sem DISconfinar. Não vamos querer “morrer na praia”! As aprendizagens da pandemia Covid-19 são uma ótima oportunidade para acertar procedimentos e aperfeiçoar métodos de trabalho. O estado de emergência e o estado de calamidade ensinaram-nos muito! É necessário desconfinar o centro de saúde com uma nova visão e reinventar o conceito com unidades de saúde aprendentes e inovadoras.

Mais lidas