Covid-19: Vírus vai permanecer por muito tempo, diz OMS
DATA
23/04/2020 11:46:15
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS




Covid-19: Vírus vai permanecer por muito tempo, diz OMS

O diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, afirma que começa a haver estabilidade na situação da Europa, face à Covid-19, mas alerta que o vírus que provoca a doença vai estar presente “muito tempo”.

“O vírus vai acompanhar-nos durante muito tempo”, avançou o responsável, numa conferência de imprensa online a partir da sede da OMS em Genebra, após referir que a Europa está, em relação à pandemia, em situação estável e com tendência a baixar.

A organização revela-se preocupada com as situações em África, na América Central e do Sul e na Europa de leste.

Tedros Adhanom Ghebreyesus disse que a epidemia pode reativar-se, mesmo em situações em que o confinamento tem resultado, e avisou que “o mundo não voltará a funcionar como antes” e que é preciso procurar uma nova e mais segura realidade.

Numa conferência de imprensa em que se falou de aliviar das medidas de isolamento, os responsáveis da OMS disseram compreender que as pessoas “queiram voltar às suas vidas normais”, mas assinalaram sempre a importância do afastamento social, na luta contra o vírus.

Questionado se a declaração de emergência mundial devia ter sido feita mais cedo, o responsável máximo da OMS enfatizou que essa declaração foi feita a 30 de janeiro, “o mais cedo possível”, e esclareceu que, nesse momento, havia 82 casos confirmados fora da China, a maioria em países vizinhos, onde começou a epidemia. Na data referida, a Europa tinha notificado dez casos e não havia mortes declaradas fora da China.

“Creio que declaramos a emergência no momento adequado, o mundo tinha tempo suficiente para responder”, afirmou.

You've got mail! - quando um aumento da acessibilidade não significa melhoria da acessibilidade
Editorial | António Luz Pereira, Direção da APMGF
You've got mail! - quando um aumento da acessibilidade não significa melhoria da acessibilidade

No ano de 2021, foram realizadas 36 milhões de consultas médicas nos cuidados de saúde primários, mais 10,7% do que em 2020 e mais 14,2% do que em 2019. Ou seja, aproximadamente, a cada segundo foi realizada uma consulta médica.