Tonic App e EBSCO juntam-se para disponibilizar plataforma de apoio à decisão clínica
DATA
04/05/2020 12:04:26
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS




Tonic App e EBSCO juntam-se para disponibilizar plataforma de apoio à decisão clínica

A startup portuguesa Tonic App, que visa “ajudar os médicos a melhor diagnosticar e a tratar os seus doentes”, estabeleceu uma parceria de seis meses com a editora americana EBSCO, para disponibilizarem, gratuitamente, a plataforma de apoio à decisão clínica DynaMed, na Península Ibérica.

Desta forma, os utilizadores médicos portugueses e espanhóis da Tonic App terão acesso ao DynaMed, através da sua aplicação móvel.

Com esta associação, as duas empresas tencionam contribuir para a luta contra a Covid-19, dando aos profissionais de saúde acesso a informação relevante, até “à cabeceira do doente”.

“A saúde, tal como muitos outros setores, está a sofrer uma transformação digital forçada no contexto da pandemia Covid-19 e a Tonic App quer estar na vanguarda. Estar à frente no digital não significa apenas mais e melhor tecnologia, mas também desenvolver parcerias, que, num momento difícil da economia, potenciem oportunidades e sinergias entre os vários intervenientes da saúde”, defende a médica e cofundadora da Tonic App, Daniela Seixas.

Sobre a parceria com a EBSCO comenta ainda: “Juntos somos mais fortes, e os médicos e os seus doentes são os primeiros a beneficiar com isso, porque podem aceder aos melhores recursos profissionais de apoio à decisão clínica de todos estes parceiros, reunidos numa única aplicação”.

A start up portuguesa pretende, assim, reforçar a sua oferta de recursos digitais úteis para a prática clínica, entre os quais motores de busca especializados em códigos de diagnóstico ou congressos médicos, algoritmos clínicos, conteúdos informativos para doentes, emprego médico ou notícias de saúde.

A Tonic App revela que conta com um em cada quatro médicos portugueses, e que tem desenvolvido também vários recursos digitais para ajudá-los durante a atual pandemia, que representaram 36% de toda a atividade na aplicação, no mês de abril.

Mulher, autonomia e indicadores – uma história de retrocesso?
Editorial | Jornal Médico
Mulher, autonomia e indicadores – uma história de retrocesso?

O regime remuneratório das USF modelo B há muito que é tema para as mais diversas discussões, parecendo ser unânime a opinião de que necessita de uma revisão, inexistente de forma séria desde a sua implementação.