Covid-19: Hospitais do Médio Tejo anunciam nova fase e retoma da normalidade dos serviços
DATA
22/05/2020 14:09:10
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



Covid-19: Hospitais do Médio Tejo anunciam nova fase e retoma da normalidade dos serviços

O Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT) anunciou o "início de uma nova fase" de resposta à Covid-19, com os serviços transferidos a regressarem aos locais de origem e com a reposição do horário completo nas Urgências Básicas.

Em comunicado, o CHMT, composto pelas unidades hospitalares de Abrantes, Tomar e Torres Novas, no distrito de Santarém, dá conta que, "no âmbito da nova fase da atual pandemia pelo SARS-CoV2, os Serviços de Urgência Básicas do Centro Hospitalar do Médio Tejo retomarão o seu horário normal de funcionamento, no próximo dia 25 de maio, segunda-feira, a partir das 08:00.

Na mesma nota informativa, o CHMT refere que o fecho noturno dos dois Serviços de Urgência Básica, em Tomar e Torres Novas, "não comprometeu o atendimento à população, tendo sido assegurada a contínua resposta assistencial a todos os doentes com situações clínicas mais frágeis, sem pôr em causa a concentração de esforços no combate ao Covid-19".

A administração indica ainda que, neste período de encerramento noturno do Serviço de Urgência Básica, "o número de atendimentos nas diferentes valências do Serviço de Urgência do CHMT, EPE, foi de 17.025, menos 14.541 que no período homólogo de 2019, o que representa uma redução de cerca de 46% de atendimentos no Serviço de Urgência".

Assim, sublinha, "com o retomar do horário completo dos Serviços de Urgência Básicas reforça-se o processo de retoma da atividade assistencial progressivamente no CHMT", depois das alterações que foram implementadas ao abrigo do Plano de Contingência ao Covid-19 e em que o hospital de Abrantes constituiu-se como a unidade referência do CHMT para assistência a pessoas infetadas.

Por outro lado, anunciou a administração hospitalar, os Serviço de Ortopedia e de Ginecologia/Obstetrícia "voltam à Unidade Hospitalar de Abrantes durante o próximo mês de junho", depois de terem sido transferidos para Tomar e Torres Novas, respetivamente.

O CHMT, cujo Conselho de Administração é presidido por Carlos Andrade, deu também conta que a "Unidade Hospitalar de Abrantes tem concluídas as obras que reabilitam parte do piso 10" daquele edifício Hospitalar, ficando assim, e "pela primeira vez na história deste edifício, totalmente capacitado para prestação de assistência hospitalar".

Este espaço fica preparado para receber uma enfermaria de Medicina Interna, com 26 camas.

“A reabilitação desta nova enfermaria permite criar as condições para que a Maternidade e a unidade de neonatologia, ao regressarem à Unidade de Abrantes, ocupem a totalidade do 5.º piso, ficando desta forma protegidas e, assim, garantidas as condições de segurança para utentes e profissionais de saúde, nesta nova realidade do Covid-19, já que será reativado o antigo bloco de partos", avança o CHMT.

Na mesma nota informativa, anuncia o "lançamento do Concurso Público para a aquisição e instalação do equipamento de Ressonância Magnética, um investimento de cerca de 1,3 ME".

Deixar cair com violência o que é desnecessário e aproveitar a oportunidade
Editorial | Rui Nogueira, presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar
Deixar cair com violência o que é desnecessário e aproveitar a oportunidade

Assaltar o desnecessário. Rasgar a burocracia. Rejeitar o desperdício. Anular a perda de tempo. As aprendizagens da pandemia serão uma ótima oportunidade para acertar procedimentos e aperfeiçoar métodos de trabalho. O estado de emergência e o estado de calamidade ensinaram-nos muito! É necessário desconfinar o centro de saúde e reinventar o conceito com unidades de saúde aprendentes e inovadoras.

Mais lidas