Covid-19: OMS antecipa 10 milhões de casos na próxima semana e faz avisos à Europa
DATA
25/06/2020 18:47:07
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


Covid-19: OMS antecipa 10 milhões de casos na próxima semana e faz avisos à Europa

O diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tedros Ghebreyesus, antecipou hoje que, na próxima semana, se atinja a barreira dos 10 milhões de casos mundiais de Covid-19, avisando a Europa que “não é altura de baixar a guarda”.

“Apesar de a situação na Europa ter melhorado, a nível global, continua a piorar. No primeiro mês deste surto, menos de 10 mil casos foram reportados à OMS e, no último mês, esse número passou para quatro milhões. Prevemos atingir um total de 10 milhões de casos e de 500 mil mortos na próxima semana”, declarou Tedros Ghebreyesus.

Falando por videoconferência num debate na comissão de Saúde Pública do Parlamento Europeu sobre a resposta mundial ao novo coronavírus, o responsável avisou os líderes e países da União Europeia (UE) que “esta é a altura de estar alerta, não é altura de baixar a guarda”.

“É altura de os países encontrarem formas de detetar, isolar, testar e tratar todos os casos e de rastrear todos os contactos”, apelou.

Tedros Ghebreyesus avisou que, “apesar de a transmissão ter sido travada em muitos países europeus, o vírus ainda circula, continua a ser mortal e a afetar as pessoas mais suscetíveis”.

“Os países europeus têm os sistemas de saúde mais avançados do mundo, mas mesmo os países mais ricos e desenvolvidos foram surpreendidos por este vírus e os seus sistemas de saúde têm estado sob pressão”, observou.

Por isso, “temos de trabalhar para garantir que aprendemos as lições da pandemia e que mundo não será mais apanhado desprevenido”, defendeu Tedros Ghebreyesus perante os eurodeputados nesta audição realizada à distância e por meios digitais devido à pandemia.

Afirmando “valorizar a liderança da UE durante este período sem precedentes”, o diretor-geral da OMS aproveitou a ocasião para “agradecer à Comissão Europeia o apoio dado à organização e a muitos países em todo o mundo para combater a doença”, mas solicitou um reforço desta ajuda, nomeadamente aos países africanos.

“A UE está numa posição única de liderar a nível global e de estabelecer o novo normal”, argumentou.

Numa altura em que se verificam também tensões geopolíticas, depois de os Estados Unidos terem ameaçado suspender o financiamento à OMS por críticas à forma como a entidade geriu o surto, Tedros Ghebreyesus apontou que “a pandemia de Covid-19 é um teste à solidariedade e à liderança mundial”.

“E a UE está a responder ao desafio”, considerou.

O responsável afirmou, ainda, que “esta é muito mais do que uma crise sanitária [já que] as consequências económicas, sociais e políticas se farão sentir nos próximos anos”.

As certezas enganadoras sobre os Outros
Editorial | Mário Santos, membro da Direção Nacional da APMGF
As certezas enganadoras sobre os Outros

No processo de reflexão da minha prática clínica, levo em conta para além do meu índice de desempenho geral (IDG) e da satisfação dos meus pacientes, a opinião dos Outros. Não deixo, por isso, de ler as entrevistas cujos destaques despertam em mim o interesse sobre o que pensam e o que esperam das minhas funções, como médico de família. Selecionei alguns títulos divulgados pelo Jornal Médico, que mereceram a minha atenção no último ano: