Covid-19: Câmara de Évora exige reabertura urgente das extensões de saúde
DATA
31/07/2020 11:12:04
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



Covid-19: Câmara de Évora exige reabertura urgente das extensões de saúde

A Câmara Municipal de Évora exigiu à Administração Regional de Saúde (ARS) do Alentejo a reabertura urgente das extensões de saúde das freguesias rurais do concelho ainda encerradas, na sequência da pandemia da Covid-19.

A exigência consta numa moção, intitulada "É urgente reabrir todas as extensões de saúde das freguesias rurais do concelho de Évora", proposta pelos eleitos da CDU e aprovada por unanimidade na mais recente reunião de câmara, divulgou hoje o município.

“Quatro meses após o fecho das extensões, adensam-se as preocupações sobre a sua reabertura apesar da ARS ter garantido à câmara, em 12 de julho, a sua reabertura para breve”, lê-se na moção, apontando como exemplo o caso da freguesia de São Sebastião da Giesteira e Boa-Fé.

No início de junho, a Câmara de Évora já tinha aprovado, também por unanimidade, uma tomada de posição a apelar às entidades competentes para a “urgente reabertura” de todas as extensões de saúde que foram encerradas, bem como para o reforço dos seus meios.

Nesta moção, considera a situação “inaceitável” e volta a exigir à ARS do Alentejo que “reabra, de imediato, as extensões de saúde ainda encerradas e proceda de forma a repor o direito aos cuidados de saúde pública primários no concelho”.

No passado mês de junho, o secretário de Estado que coordena o combate à Covid-19 no Alentejo considerou "essenciais" as consultas médicas nas freguesias rurais, vincando que a orientação do Governo é para a sua reposição "o mais rápido possível".

"A orientação" do Ministério da Saúde é para que a retoma dos serviços de saúde nas freguesias rurais seja feita "o mais rápido possível", disse então o secretário de Estado Adjunto e da Defesa Nacional, Jorge Seguro Sanches, numa conferência de imprensa em Évora.

Na altura sublinhou que estava em curso "um processo que tem a ver com os próprios profissionais, que é liderado pela ARS" e que estariam “o mais atentos possível" para que essa retoma acontecesse "da forma mais rápida e mais eficaz”, para que as pessoas voltassem a ter essas consultas, “que são essenciais".

Durante o Estado de Emergência, declarado pelo Governo, pela primeira vez, em 18 de março, várias extensões de saúde de freguesias rurais do concelho de Évora foram encerradas e não voltaram a reabrir.

COVID e não-COVID: Investimentos para resolver novos e velhos problemas
Editorial | Rui Nogueira, Médico de Família e presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar
COVID e não-COVID: Investimentos para resolver novos e velhos problemas

Acertar procedimentos e aperfeiçoar métodos de trabalho. O estado de emergência terminou e o estado de calamidade passou, mas o problema de saúde mantem-se ativo. É urgente encontrar uma visão inovadora e adotar uma nova estratégia. As unidades de saúde precisam de encontrar respostas adequadas e seguras.

Mais lidas