Covid-19: Governo contrata 4.300 profissionais de saúde para reforçar combate à pandemia
DATA
10/08/2020 09:45:52
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS




Covid-19: Governo contrata 4.300 profissionais de saúde para reforçar combate à pandemia
Cerca de 4.300 profissionais de saúde foram contratados para garantir a capacidade de resposta do Serviço Nacional de Saúde (SNS) “às diferentes fases da pandemia” da Covid-19, anunciou na passada sexta-feira o secretário de Estado da Saúde.

“Temos feito um reforço importante ao nível dos recursos humanos para garantir que o SNS vai tendo capacidade de resposta às diferentes fases da pandemia”, afirmou António Lacerda Sales na conferência de imprensa regular sobre a Covid-19.

Assim, foram contratados no âmbito da resposta à Covid-19 cerca de 4.300 profissionais de saúde. Destes, mais de 1.800 são assistentes operacionais, mais de 1.300 são enfermeiros, cerca de 170 médicos, entre outros, como assistentes técnicos e técnicos superiores de diagnóstico e terapêutica. “Todos cruciais, todos importantes. A todos, muito obrigado”, disse o governante.

Analisando os dados diários da pandemia, António Lacerda Sales afirmou que “a taxa de letalidade global é de 3,3% e a taxa de letalidade acima dos 70 anos é de 15,7%”. Sublinhou ainda que Portugal já fez, desde o dia 1 de março, mais de 1,7 milhões de testes diagnósticos à Covid-19”. Em agosto, “a média de testes por dia é superior a 13 mil, o que faz com que sejamos o sexto país da União Europeia com mais testes por milhão de habitantes”, destacou o responsável.

Ainda sobre o reforço dos recursos humanos no SNS, o governante recordou a abertura do procedimento para 435 postos de trabalho na especialidade de Medicina Geral e Familiar (MGF), observando que “é o maior número de vagas para médicos de família dos últimos tempos”.

Foi também publicado o despacho que fixou os postos de trabalho médico nas zonas geográficas do país e especialidades definidas como carenciadas. “São 185 vagas, o maior número de sempre para zonas do país que mais delas necessitam como o Algarve, as Beiras, Trás-os-Montes, às quais o Governo atribui um conjunto de incentivos aos profissionais que a elas se candidatam, porque reconhecemos que a força de trabalho é o motor do Serviço Nacional de Saúde e queremos profissionais de saúde motivados”, vincou.

António Lacerda Sales assinalou ainda que, pela primeira vez, o concurso de mobilidades para vínculos ao SNS abrange as especialidades médicas hospitalares e saúde pública e que será brevemente lançado”. Segundo o governante, foram também abertas 2.400 vagas para a formação no Internato geral.

O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Editorial | Jornal Médico
O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Acertar procedimentos e aperfeiçoar métodos de trabalho. Encontrar uma nova visão e adotar uma nova estratégia útil na nossa prática clínica quotidiana. Valorizar as unidades de saúde por estarem a dar as respostas adequadas e seguras é o mínimo que se exige, mas é urgente e inevitável um plano de investimento nos centros de saúde do Serviço Nacional de Saúde.

Mais lidas