Farmácias e município de Águeda sensibilizam para toma correta e adesão à terapêutica
DATA
19/08/2020 11:25:26
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS




Farmácias e município de Águeda sensibilizam para toma correta e adesão à terapêutica

O presidente da Associação Nacional de Farmácias (ANF), Paulo Cleto Duarte, classificou a toma incorreta de medicação ou a falta de adesão à terapêutica como “um dos maiores problemas de saúde pública”.

O responsável falava em Águeda, na assinatura do primeiro protocolo da ANF e da Associação Dignitude com uma autarquia, neste caso com a Câmara Municipal de Águeda, com vista à a comparticipação do serviço de preparação individualizada da medicação.

“Este protocolo vem trazer um cuidado adicional, atacando diretamente um dos maiores problemas de saúde pública a nível global que é a falta de adesão à terapêutica ou a toma incorreta de medicação”, disse Paulo Cleto Duarte. Segundo o presidente da ANF, “vai permitir garantir que as pessoas mais frágeis tomem melhor a sua terapêutica e melhorem a gestão da sua medicação”.

Na cerimónia de assinatura, o dirigente associativo sublinhou que o cofinanciamento da Câmara Municipal de Águeda, a primeira autarquia a aderir ao programa, “vai impactar muito positivamente a saúde das pessoas que residem no município”.

A presidente do Colégio de Farmácia Comunitária, Carolina Mosca, em representação da Bastonária da Ordem dos Farmacêuticos, considerou “de extrema relevância a parceria entre as várias áreas, tendo o foco central no doente”.

“Este protocolo vai facilitar e ajudar as pessoas com maiores necessidades no que toca à gestão da terapêutica”, destacou.

O serviço farmacêutico diferenciado “promove a utilização correta, segura e efetiva da medicação” com recurso a um dispositivo de múltiplos compartimentos para a organização de medicamentos, homologado pelo Infarmed.

O objetivo é contribuir para a redução dos erros de administração de medicação prescrita devido a confusão, duplicações e esquecimentos e deverá ser implantado nas 13 farmácias do concelho de Águeda.

O acesso ao serviço farmacêutico será comparticipado pela Câmara Municipal de Águeda, de acordo com os rendimentos dos utentes. Para além do protocolo para a prestação desse serviço, a Câmara Municipal de Águeda aderiu ao Programa Abem, da Associação Dignitude, uma Rede Solidária do Medicamento que pretende dar resposta aos problemas de acesso ao medicamento por parte da população carenciada.

O presidente da Câmara Municipal de Águeda, Jorge Almeida, afirmou que, com o acordo hoje firmado, “as pessoas que efetivamente precisam, encontram um apoio para que, através das farmácias, possa ser disponibilizada a medicação”. Por outro lado, com a adesão ao Programa Abem, “é abrangida uma franja muito mais larga da população, nomeadamente os idosos, os que estão medicados, e que sentem dificuldades em perceber como e quando os tomar”.

A procuradora da Direção da Dignitude e antiga ministra da Saúde, Maria de Belém Roseira, salientou que a dignidade está na base do projeto, pois permite apoiar uma franja populacional carenciada, sem expor as suas fragilidades.

“Este projeto permite aplanar sobretudo a curva da pobreza e das desigualdades”, sublinhou.

Uma oportunidade de ouro
Editorial | Nuno Jacinto
Uma oportunidade de ouro

O ano que agora terminou foi sem dúvida atípico, fora do normal e certamente ficará para sempre na nossa memória individual e coletiva. Mas porque, apesar de tudo, há tradições que se mantêm, é chegada a hora de fazer um balanço de 2020 e perspetivar 2021.

Mais lidas