Ministra da Saúde apela à utilização da app "StayAway Covid"
DATA
01/09/2020 12:42:00
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS




Ministra da Saúde apela à utilização da app "StayAway Covid"

A ministra da Saúde garante que a app “StayAway Covid” é segura e, apesar da adesão ser voluntária, Marta Temido apela à sua "efetiva utilização" desta aplicação para dispositivos móveis.

"Eu estou em processo. Creio que amanhã estará concluído", afirmou a ministra da Saúde, Marta Temido, na apresentação da aplicação móvel (app) Stayaway Covid, esta terça-feira, no Instituto Superior de Engenharia do Porto.

A app que permite rastrear contactos de infeção do novo coronavírus é de adesão voluntária, mas Marta Temido quis deixar um apelo aos portugueses: "Apelo a que a app seja descarregada" e "num exercício de responsabilidade e solidariedade seja efetiva a sua utilização".

"Não desistam", sublinhou a governante com a tutela da Saúde, face à eventual demora na conclusão do processo de adesão, garantindo que a app é segura no que respeita à privacidade dos utilizadores.

Marta Temido saudou ainda "a capacidade científica do país" e considerou a app Stayaway Covid "um instrumento que será muito útil em tempos de regresso às aulas e regresso à normalidade possível".

Este sistema permite notificar quem, nas 48 horas anteriores ao diagnóstico, contactou com proximidade (a menos de dois metros e por mais de 15 minutos) com alguém infetado com covid-19.

Para tal, é preciso que a aplicação esteja ativada no telemóvel. Em caso de diagnóstico positivo, o doente recebe um código enviado pelo médico "para introduzir no telemóvel". Será esse código que levará a aplicação a notificar os contactos de proximidade.

Se os jovens Médicos de Família querem permanecer no SNS e se o SNS precisa deles, o que falta?
Editorial | António Luz Pereira
Se os jovens Médicos de Família querem permanecer no SNS e se o SNS precisa deles, o que falta?

Nestes últimos dias tem sido notícia o número de vagas que ficaram por preencher, o número de jovens Médicos de Família que não escolheram vaga e o número de utentes que vão permanecer sem médico de família. Há três grandes razões para isto acontecer e que carecem de correção urgente para conseguir cativar os jovens Médicos de Família.

Mais lidas