China e Rússia usam vacinas experimentais da covid-19 em profissionais de saúde e professores
DATA
01/09/2020 16:40:41
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS




China e Rússia usam vacinas experimentais da covid-19 em profissionais de saúde e professores

Militares, profissionais de saúde, professores e os que estão envolvidos na prevenção da doença estão a ser vacinados em ambos na China e na Rússia, ainda que não se conhecem quais são os resultados dos ensaios clínicos, como avança o jornal Público.

Na China, a distribuição da vacina está a ser primeiramente nos profissionais de sectores considerados de “risco elevado”, tal como trabalhadores de saúde.

Está neste momento a decorrer a última fase dos ensaios clínicos da vacina desenvolvida pela empresa Sinopharm.

Foram os profissionais de saúde, trabalhadores envolvidos em esquemas de prevenção da propagação do novo coronavírus e funcionários dos postos fronteiriços e aduaneiros os primeiros grupos a receber a vacina, desde o início de julho, revelou o diretor do Centro de Desenvolvimento de Ciência e Tecnologia da Comissão Nacional de Saúde, Zheng Zhongwei, em declarações ao canal estatal CCTV2.

O Público reporta que, o objetivo desta campanha de vacinação inicial – cujo alcance não foi revelado em termos numéricos – é criar uma “barreira de imunidade”, explicou Zheng. “Assim que criarmos uma barreira de imunidade para o pessoal médico, os trabalhadores envolvidos nas operações básicas da cidade, como no mercado, transporte e algumas indústrias de serviços”, passam a poder receber a vacina, disse o responsável, citado pela CNN.

Uma oportunidade de ouro
Editorial | Nuno Jacinto
Uma oportunidade de ouro

O ano que agora terminou foi sem dúvida atípico, fora do normal e certamente ficará para sempre na nossa memória individual e coletiva. Mas porque, apesar de tudo, há tradições que se mantêm, é chegada a hora de fazer um balanço de 2020 e perspetivar 2021.

Mais lidas

Sem artigos!
Sem artigos!