Covid-19: ARS atualiza para 43 número de infetados em lar de idosos em Guimarães
DATA
15/09/2020 09:10:56
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS




Covid-19: ARS atualiza para 43 número de infetados em lar de idosos em Guimarães

A Administração Regional de Saúde do Norte (ARSN) atualizou para 43 o número de casos positivos de Covid-19 no Centro Social Irmandade de São Torcato, em Guimarães. Em resposta enviada à Lusa, a ARSN refere que testaram positivo 33 funcionários e 10 idosos.

Ao início da tarde de ontem, o juiz da Irmandade de São Torcato, Paulo Novais, tinha aludido a 41 casos, entre 32 utentes e nove funcionários.

Segundo a ARSN, a Autoridade de Saúde do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) Alto Ave teve conhecimento, na sexta-feira, de um caso confirmado de Covid-19 num utente do lar daquele Centro Social.

A Autoridade de Saúde promoveu a investigação epidemiológica, com a identificação dos contactos, a avaliação do risco da exposição e a determinação das medidas de saúde públicas “necessárias e adequadas, em função da referida avaliação”.

Foi também realizado teste para deteção de infeção a todos os utentes e profissionais, “tendo sido identificados 43 casos positivos, dos quais 33 utentes e 10 profissionais”.

A ARSN sublinha que “todo este processo está a ser desenvolvido pelas autoridades de Saúde Local e Regional, Câmara Municipal, Centro Distrital de Segurança Social de Braga e Proteção Civil, em articulação com os responsáveis da instituição.

Segundo o juiz da Irmandade de S. Torcato, dois utentes apresentavam “alguns sintomas febris”, pelo que estão internados no hospital.

“Todos os outros estão assintomáticos”, disse ainda, ressalvando que mesmo os que estão internados “não inspiram especiais cuidados”.

O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Editorial | Jornal Médico
O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Acertar procedimentos e aperfeiçoar métodos de trabalho. Encontrar uma nova visão e adotar uma nova estratégia útil na nossa prática clínica quotidiana. Valorizar as unidades de saúde por estarem a dar as respostas adequadas e seguras é o mínimo que se exige, mas é urgente e inevitável um plano de investimento nos centros de saúde do Serviço Nacional de Saúde.

Mais lidas