Quinzena do coração: “Use o Coração Para Prevenir Doenças Cardiovasculares”
DATA
15/09/2020 12:58:14
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS




Quinzena do coração: “Use o Coração Para Prevenir Doenças Cardiovasculares”

Englobado no Dia Mundial do Coração, que se assinala mundialmente no dia 29 de setembro, a Fundação Portuguesa de Cardiologia [FPC] vai promover a Quinzena do Coração, sob o mote “Use o Coração Para Prevenir Doenças Cardiovasculares”.

Através da realização de várias iniciativas, a Fundação Portuguesa de Cardiologia pretende sensibilizar e consciencializar a população para a importância de cuidarem do seu coração.

“A Covid-19 é responsável por várias complicações graves nos doentes cardiovasculares, como é o caso das miocardites, arritmias, tromboembolismo e enfartes do miocárdio” e que “estes doentes têm um maior risco de morte no caso de infeção por Covid-19”, segundo a FPC.

Ao longo de 15 dias a Fundação Portuguesa de Cardiologia vai partilhar um conjunto de vídeos que vão abordar temáticas como a importância da atividade física em seniores e nos jovens, alimentação saudável, hipertensão arterial e suporte básico de vida.

Alguns destes vídeos, contam com a colaboração da Federação de Ginástica de Portugal e da Federação Portuguesa de Atletismo e ainda dos chefes de cozinha Justa Nobre e Chakall, que que darão o seu contributo em vídeo com a partilha de receitas saudáveis.

A Fundação Portuguesa de Cardiologia vai ainda promover um webinar, no dia 29 de setembro, pelas 18h30, dedicado à temática “Doentes cardíacos e Covid-19”.

O mote da Quinzena do Coração segue a linha proposta pela World Heart Federation para comemorar a efeméride em 2020

O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Editorial | Jornal Médico
O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Acertar procedimentos e aperfeiçoar métodos de trabalho. Encontrar uma nova visão e adotar uma nova estratégia útil na nossa prática clínica quotidiana. Valorizar as unidades de saúde por estarem a dar as respostas adequadas e seguras é o mínimo que se exige, mas é urgente e inevitável um plano de investimento nos centros de saúde do Serviço Nacional de Saúde.

Mais lidas