SPR alerta que 50% dos portugueses não tem acesso a cuidados de reumatologia
DATA
24/09/2020 18:35:15
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS




SPR alerta que 50% dos portugueses não tem acesso a cuidados de reumatologia

De acordo com o presidente da Sociedade Portuguesa de Reumatologia [SPR], Luís Miranda, 50% da população portuguesa ainda não tem acesso a cuidados de reumatologia.

“Trata-se de uma situação de iniquidade inaceitável que requer compromissos de todas as partes para que se encontre a melhor solução possível”, referiu o mesmo especialista.

O alerta foi dado hoje na sessão de abertura das XX Jornadas da A.N.D.A.R - Associação Nacional de Doentes com Artrite Reumatóide, uma iniciativa que decorre até amanhã em Lisboa e serve para assinalar os 25 anos de existência da associação.

Para a presidente da A.N.D.A.R, Arsisete Saraiva, “ao longo destes 25 anos, muita coisa aconteceu e muito mais está para acontecer. Ajudámos os doentes a conseguir a comparticipação a 100% de medicamentos essenciais no tratamento da doença e iremos lançar a primeira pedra, do primeiro centro em Portugal, dedicado exclusivamente à investigação e tratamento da Artrite Reumatóide em Portugal”.

“Terá gabinetes médicos, salas de tratamentos e exames, sala de trabalho de enfermagem, ginásio, fisioterapia e hidroterapia (piscina), um núcleo de Internamento, com uma unidade de cuidados continuados integrados, um centro de dia e ainda um auditório com capacidade para 300 lugares, e sala de exposição técnica, para além do já referido Centro de Investigação”, adiantou a presidente.

A sessão de abertura contou ainda com a participação do deputado do PSD e membro da Comissão Parlamentar de Saúde, Ricardo Baptista Leite que, por sua vez, destacou o papel da A.N.D.A.R em 25 anos no apoio aos doentes e a resiliência destes perante uma patologia altamente incapacitante.

“Aqueles que vivem com a doença são os verdadeiros especialistas das suas condições de saúde”, concluiu o representante parlamentar.

O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Editorial | Jornal Médico
O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Acertar procedimentos e aperfeiçoar métodos de trabalho. Encontrar uma nova visão e adotar uma nova estratégia útil na nossa prática clínica quotidiana. Valorizar as unidades de saúde por estarem a dar as respostas adequadas e seguras é o mínimo que se exige, mas é urgente e inevitável um plano de investimento nos centros de saúde do Serviço Nacional de Saúde.

Mais lidas