Gripe: Ordem dos Farmacêuticos satisfeita com o aumento da cobertura de vacinas
DATA
16/10/2020 09:22:47
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS




Gripe: Ordem dos Farmacêuticos satisfeita com o aumento da cobertura de vacinas

O Governo chegou a acordo com as associações de farmácias, no fornecimento de vacinas contra a gripe para administração aos utentes com mais de 65 anos. As vacinas ficam agora disponíveis na rede de quase 3.000 farmácias existentes em território nacional.

“O recente acordo alcançado entre o Governo e as associações de farmácias é um marco histórico na relação entre Serviço Nacional de Saúde [SNS] e as farmácias comunitárias. Pela primeira vez, as farmácias integram a rede de unidades de saúde onde os portugueses podem receber gratuitamente a vacinação contra a gripe”, afirmou a bastonária da Ordem dos Farmacêuticos [OF], Ana Paula Martins.

Em comunicado, pode ler-se que, pela primeira vez, o Ministério da Saúde “assegura a distribuição através das farmácias de, pelo menos, 10% do contingente de vacinas adquiridas pelo SNS”, o que corresponde a cerca de 150 mil doses da vacina.

“É uma medida inédita no nosso País. Um reconhecimento público do trabalho e dos resultados de projetos-piloto que já estavam em curso em algumas farmácias (ex.: concelho de Loures)”, considera Ana Paula Martins, acrescentando ainda que quer “acreditar que é também uma medida irreversível”.

A bastonária expressou o seu contentamento, por os farmacêuticos, em conjuntos com os médicos e enfermeiros, fazerem parte dos três de profissionais de saúde que mais perto contactam com a população, sendo esta “uma demonstração clara de união de esforços em torno de um objetivo essencial no atual contexto pandémico que vivemos”.

Este ano, também pela primeira vez, os farmacêuticos comunitários integram o grupo de profissionais de saúde abrangidos pela vacinação gratuita e prioritária contra a gripe. O Governo reservou cerca de 10 mil doses da vacina para administração às equipas que trabalham nas farmácias comunitárias.

O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Editorial | Jornal Médico
O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Acertar procedimentos e aperfeiçoar métodos de trabalho. Encontrar uma nova visão e adotar uma nova estratégia útil na nossa prática clínica quotidiana. Valorizar as unidades de saúde por estarem a dar as respostas adequadas e seguras é o mínimo que se exige, mas é urgente e inevitável um plano de investimento nos centros de saúde do Serviço Nacional de Saúde.

Mais lidas