Cimeira Mundial da Saúde arranca marcada pela pandemia
DATA
26/10/2020 15:02:13
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS




Cimeira Mundial da Saúde arranca marcada pela pandemia

Começou ontem a primeira Cimeira Mundial da Saúde totalmente virtual, num ano marcado pela pandemia da Covid-19, que dominará a discussão dos políticos, académicos e representantes de organizações internacionais e farmacêuticas convidados.

Até terça-feira, estarão em contacto 300 representantes de cerca de uma centena de países em 50 sessões de discussão.

Portugal estará representado pela ministra da Saúde, Marta Temido, e pelo deputado social-democrata Ricardo Batista Leite, que é também coordenador de Saúde Pública no Instituto de Ciências da Saúde da Universidade Católica Portuguesa.

A sessão de abertura, que se realizou ontem à tarde, teve intervenções do secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, da presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, do diretor-geral da Organização Mundial de Saúde, Tedros Ghebreyesus, e de representantes das farmacêuticas Sanofi e Pfizer, entre outros.

O desenvolvimento de vacinas, a resposta à pandemia, a investigação em curso e a preparação para pandemias futuras serão temas em análise durante os painéis, numa cimeira em que não se falará só de Covid, mas também de saúde infantil, cancro da mama, saúde e alterações climáticas, saúde feminina, HIV ou a situação específica dos refugiados e migrantes.

A "hiperventilação" dos Cuidados de Saúde Primários
Editorial | Joana Romeira Torres
A "hiperventilação" dos Cuidados de Saúde Primários
A Organização Mundial de Saúde alude que os Cuidados de Saúde Primários (CSP) são cruciais para a obtenção de promoção da saúde a nível global. Neste sentido, a Organização Mundial dos Médicos de Família (WONCA) tem estabelecido estratégias que têm permitido marcar posição dos mesmos na comunidade médica geral.

Mais lidas