×

Alerta

JUser: :_load: Não foi possível carregar o utilizador com o ID: 35433
Sociedade Portuguesa de Gastrenterologia Alerta para o Uso Responsável dos Antibióticos
DATA
17/11/2020 15:53:04
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



Sociedade Portuguesa de Gastrenterologia Alerta para o Uso Responsável dos Antibióticos

No âmbito da Semana Mundial de Consciencialização Sobre o Uso de Antibióticos, promovida pela Organização Mundial de Saúde, a Sociedade Portuguesa de Gastrenterologia (SPG) lança uma campanha de sensibilização sobre o impacto dos antibióticos na microbiota intestinal.

O principal objetivo desta campanha é alertar a população para o impacto dos antibióticos na microbiota intestinal e para o seu uso responsável, dado que só devem ser tomados por prescrição médica e de preferência seguido da toma de probióticos, ajudando a evitar o desequilíbrio da microbiota intestinal.   

Os antibióticos, com um papel essencial no combate às infeções bacterianas, salvam muitas vidas. Mas, acabam por afetar tanto as bactérias nocivas como as que têm funções importantes para o normal funcionamento do organismo e que se encontram, na sua grande maioria, no intestino.  

Neste caso, a eliminação das bactérias benéficas pode levar ao desequilíbrio da microbiota intestinal e contribuir para o desenvolvimento de outras doenças do aparelho digestivo.  

A Asma, a Obesidade, a Doença de Crohn e a Síndrome do Intestino Irritável são algumas das doenças que atingem milhões de pessoas, onde a evidência científica demonstra a forte relação entre elas e o desequilíbrio da microbiota intestinal.

O Professor Rui Tato Marinho, presidente da Sociedade Portuguesa de Gastrenterologia sublinha: “Quando a toma do antibiótico é necessária, o tratamento indicado pelo médico poderá ter de incluir, em simultâneo, um probiótico, para evitar a disbiose. Os probióticos têm na sua constituição bactérias vivas, com benefícios para a saúde, desde a manutenção do equilíbrio do aparelho digestivo bem como a regulação do sistema imunitário, compensando agressões externas como o stress, a má alimentação ou toma dos antibióticos. Existem probióticos que, por serem resistentes aos antibióticos, apresentam um benefício comprovado na prevenção e tratamento da disbiose. Não devem ser tomados antibióticos desnecessariamente, uma vez que as infeções virais não se tratam com antibióticos”. 

Veja o vídeo da campanha

 

O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Editorial | Jornal Médico
O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Acertar procedimentos e aperfeiçoar métodos de trabalho. Encontrar uma nova visão e adotar uma nova estratégia útil na nossa prática clínica quotidiana. Valorizar as unidades de saúde por estarem a dar as respostas adequadas e seguras é o mínimo que se exige, mas é urgente e inevitável um plano de investimento nos centros de saúde do Serviço Nacional de Saúde.

Mais lidas