Covid-19: SPP reivindica “uma organização racional e eficaz dos recursos existentes”
DATA
17/11/2020 16:42:17
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS




Covid-19: SPP reivindica “uma organização racional e eficaz dos recursos existentes”

A Sociedade Portuguesa de Pneumologia (SPP) considera que devem ser dadas as condições aos profissionais de saúde, “no sentido de garantirem a prestação de cuidados e de assistência aos doentes com Covid-19, mas também aos doentes que sofrem de outras patologias”.

Em comunicado, a SPP mostra-se insatisfeita pelo facto de os “doentes com patologia respiratória crónica serem internados sem a assistência da especialidade responsável”, devido ao “preenchimento dos internamentos adstritos apenas, ou de forma preferencial, aos serviços de Pneumologia”.

Deste modo, a SPP “considera ser dever das autoridades a organização dos serviços no sentido de garantirem a prestação de cuidados e de assistência aos doentes com Covid-19, mas também aos doentes que sofrem de outras patologias”.

Segundo a sociedade, “Esta situação será apenas contrariada, no contexto dramático em que nos encontramos, com uma organização racional e eficaz dos vários recursos existentes”.

Outra das preocupações da SPP é a falta de material de proteção individual, necessário para a execução de atos médicos, pois “a integridade dos trabalhadores de saúde e das suas famílias não pode ser colocada em causa por falta de material de proteção”.

A SPP refere que têm sido reportadas situações em que “os trabalhadores de saúde são colocados de forma arbitrária em enfermarias com um ratio/doente extremamente elevado.

O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Editorial | Jornal Médico
O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Acertar procedimentos e aperfeiçoar métodos de trabalho. Encontrar uma nova visão e adotar uma nova estratégia útil na nossa prática clínica quotidiana. Valorizar as unidades de saúde por estarem a dar as respostas adequadas e seguras é o mínimo que se exige, mas é urgente e inevitável um plano de investimento nos centros de saúde do Serviço Nacional de Saúde.

Mais lidas