Portugal destaca impacto negativo da pandemia nos direitos humanos em Dia Internacional
DATA
11/12/2020 10:01:05
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS




Portugal destaca impacto negativo da pandemia nos direitos humanos em Dia Internacional

O Governo português assinalou ontem o Dia Internacional dos Direitos Humanos, destacando o impacto negativo que a pandemia está a ter nesta matéria e reafirmando o compromisso do país “na promoção, proteção e realização de todos os direitos humanos”.

O Dia Internacional dos Direitos Humanos é observado anualmente a 10 de dezembro, assinalando o dia da adoção da Declaração Universal dos Direitos Humanos pela Assembleia-Geral das Nações Unidas, em 1948.

Este ano, o tema escolhido a nível internacional foi “Recuperar Melhor – defender os Direitos Humanos”.

“O tema de 2020 (…) sublinha o impacto negativo da pandemia na realização dos direitos humanos e no agravamento das desigualdades”, referiu uma nota divulgada pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros, que acrescentou que, nesta data, o executivo português “reitera a importância do multilateralismo, bem como da interdependência, indivisibilidade e centralidade dos direitos humanos nas respostas à Covid-19”.

O comunicado da diplomacia portuguesa relembrou ainda a criação, em 2010, da Comissão Nacional para os Direitos Humanos.

“Celebramos uma década de contributos para o avanço dos direitos humanos em Portugal, no mesmo ano em que se celebra o 70.º aniversário da Convenção Europeia dos Direitos Humanos, assinada em 1950, e o 25.º aniversário da Declaração e Plataforma de Ação de Pequim, um marco na luta pelos direitos das mulheres”, enumerou o comunicado.

Em representação do Governo português, a nota do ministério tutelado por Augusto Santos Silva mencionou ainda que este dia representa “o culminar de 16 dias de ativismo da campanha das Nações Unidas pela eliminação da violência de género, que teve início a 25 de novembro, no Dia Internacional pela Eliminação da Violência Contra as Mulheres”.

“Nesta data, o Governo português reafirma o seu compromisso na promoção, proteção e realização de todos os direitos humanos”, concluiu o breve comunicado.

A mudança necessária
Editorial | Jornal Médico
A mudança necessária

Os últimos meses foram vividos por todos nós num contexto absolutamente anormal e inusitado.

Atravessamos tempos difíceis, onde a nossa resistência é colocada à prova em cada dia, realidade que é ainda mais vincada no caso dos médicos e restantes profissionais de saúde. Neste âmbito, os médicos de família merecem certamente uma palavra de especial apreço e reconhecimento, dado o papel absolutamente preponderante que têm vindo a desempenhar no combate à pandemia Covid-19: a esmagadora maioria dos doentes e casos suspeitos está connosco e é seguida por nós.

Mais lidas