2020 numa palavra: Miguel Guimarães elege médico
DATA
27/01/2021 09:55:59
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



2020 numa palavra: Miguel Guimarães elege médico

O Jornal Médico convidou protagonistas do setor da Saúde em Portugal a fazerem um balanço de 2020 escolhendo uma única palavra para definir o ano. O bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, elegeu médico. E justifica: “Depositámos muitos dos nossos receios, mas também muita da nossa esperança”.

“Se há ano que conseguimos sintetizar em várias palavras e, simultaneamente, encontrar dificuldade em descrever, esse ano é 2020. Ainda assim, há uma palavra que foi transversal e na qual depositámos muitos dos nossos receios, mas também muita da nossa esperança no combate à pandemia e a todas as outras doenças que continuaram silenciosamente a existir. Refiro-me à palavra médico.

Um sistema de saúde é muito mais do que um somatório de salas, camas, ventiladores... A importância do capital humano ganhou mais espaço no discurso público, com os portugueses a insistirem com o poder político para fazer da saúde uma verdadeira prioridade nacional. Não existiu certamente, ao longo do ano, nenhum jornal impresso, noticiário de rádio ou de televisão que tenha passado uma edição/emissão sem referir a palavra médico.

Este é, por isso, o momento para dar mais uma palavra de especial agradecimento a todos os meus colegas que honraram, uma vez mais, a qualidade da medicina portuguesa, pela sua capacidade inigualável de agregar à capacidade técnica, as qualidades indispensáveis a um médico completo: resiliência, ética, humanismo e solidariedade. A liderança clínica foi determinante para antecipar e reorganizar respostas num SNS bastante depauperado após anos de desinvestimento.

Os serviços de saúde foram uma vez mais as vossas casas, e, mesmo em sofrimento ético, salvar vidas continuou a ser a vossa missão – perante um cenário de incerteza, um vírus novo, o risco acrescido de poderem contagiar as vossas famílias e comentários políticos desastrosos e insultuosos. A transversalidade do que representa ser médico demonstrou-se no que já faziam nos hospitais, centros de saúde, saúde pública, investigação, etc. Mas, também ganhou novos contornos na partilha de informação sobre a pandemia com a população, nas propostas, recomendações e chamadas de atenção que fizeram, nos alertas essenciais sobre as falhas nos cuidados clínicos aos nossos idosos, muito em particular aos que vivem em lares. Prometemos no nosso Juramento de Hipócrates consagrar a nossa vida ao serviço da humanidade e colocar os doentes no centro das nossas preocupações. E assim foi, assim será em 2021.”

A "hiperventilação" dos Cuidados de Saúde Primários
Editorial | Joana Romeira Torres
A "hiperventilação" dos Cuidados de Saúde Primários
A Organização Mundial de Saúde alude que os Cuidados de Saúde Primários (CSP) são cruciais para a obtenção de promoção da saúde a nível global. Neste sentido, a Organização Mundial dos Médicos de Família (WONCA) tem estabelecido estratégias que têm permitido marcar posição dos mesmos na comunidade médica geral.

Mais lidas