MiGRA Portugal lança campanha de sensibilização para desmistificar a enxaqueca
DATA
04/02/2021 10:27:29
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



MiGRA Portugal lança campanha de sensibilização para desmistificar a enxaqueca

A MiGRA Portugal, Associação Portuguesa de Doentes com Enxaqueca e Cefaleias, lançou, em conjunto com a Novartis, a campanha “Porque a vida não tem de ser uma dor de cabeça” para ajudar os doentes a reconhecer e gerir melhor a enxaqueca e cefaleias. A iniciativa, que conta também com a colaboração da Sociedade Portuguesa de Cefaleias e da Sociedade Portuguesa de Neurologia, visa disponibilizar informação simples e fidedigna, que permita capacitar o doente e desmistificar alguns conceitos. 

A campanha é composta por três guias, em formato online e impresso, que, vão ajudar a identificar os sintomas e os diferentes tipos de enxaqueca e cefaleias. Estes guias contam ainda com recomendações práticas de neurologistas.Para complementar, estão também disponíveis vídeos que permitem compreender a doença para uma melhor gestão da mesma.

Segundo a presidente da MiGRA Portugal, Madalena Plácido, “a enxaqueca tem um impacto muito forte no dia a dia do doente, criando muitas limitações ao nível pessoal, profissional e das relações sociais": "É muito importante que o doente saiba que não deve resignar-se ao impacto da enxaqueca na sua vida e que pode e deve procurar ajuda para controlar os sintomas.”

“Apenas se conhecermos a doença e os seus sintomas, vamos conseguir geri-la melhor, por isso a capacitação dos doentes é um dos passos mais importantes da gestão da doença”, relembra, em nota enviada.

Por sua vez, a médica Elsa Parreira, presidente da Sociedade Portuguesa de Cefaleias, concretiza que a “enxaqueca se manifesta por um conjunto de sintomas que vão muito para além de uma simples dor de cabeça. A crise de enxaqueca é um fenómeno complexo que pode durar vários dias, constituído por várias fases e com várias manifestações clínicas: dor de cabeça, náuseas e vómitos, aura, sensibilidade aos estímulos externos e dificuldades cognitivas”. Acrescenta que “a dor e os outros sintomas da enxaqueca são caracteristicamente agravados pelas atividades físicas de rotina, obrigando muitas vezes ao repouso no leito em local escuro e sem ruído”.

A associação refere que procurar ajuda é um passo importante na gestão da doença. “Não cruze os braços perante a enxaqueca e procure ajuda médica. Comece pelo seu médico de família, mas saiba que há outras opções se precisar, como médicos especializados em cefaleias e consultas dedicadas. A sua colaboração é muito importante. Prepare a sua consulta mantendo atualizado um diário com as informações relevantes sobre a doença: dor, incapacidade, medicação”, esclarece, a propósito, a médica Isabel Luzeiro, presiente da Sociedade Portuguesa de Neurologia.

Os vídeos podem ser vistos no canal Youtube da MiGRA Portugal, ou através do QR Code existente nos materiais.

Se os jovens Médicos de Família querem permanecer no SNS e se o SNS precisa deles, o que falta?
Editorial | António Luz Pereira
Se os jovens Médicos de Família querem permanecer no SNS e se o SNS precisa deles, o que falta?

Nestes últimos dias tem sido notícia o número de vagas que ficaram por preencher, o número de jovens Médicos de Família que não escolheram vaga e o número de utentes que vão permanecer sem médico de família. Há três grandes razões para isto acontecer e que carecem de correção urgente para conseguir cativar os jovens Médicos de Família.

Mais lidas