Projeto internacional procura ideias inovadoras para combater a obesidade
DATA
05/02/2021 09:09:20
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



Projeto internacional procura ideias inovadoras para combater a obesidade
Um projeto internacional de promoção de sistemas alimentares saudáveis está à procura de ideias inovadoras para prevenir a obesidade entre as pessoas mais vulneráveis e as três melhores serão premiadas com mais de 83.000 euros cada.

Helena Novais, da organização do projeto, explicou que as ideias podem ser submetidas entre 01 e 19 de março e frisou a importância de encontrar boas soluções para prevenir a obesidade, criando ambientes alimentares mais saudáveis para os mais vulneráveis, sobretudo em contexto de pandemia.

“Sabemos que a obesidade é o fator de risco modificável mais significativo para o desenvolvimento da diabetes tipo II e outras doenças, que o tratamento não é suficiente e que é urgente mais prevenção”, afirmou.

A responsável em Portugal da Novo Nordisk, que em conjunto com a EAT, organização sem fins lucrativos dedicada à transformação do sistema alimentar global, lançou o 'The Healthy Food Challenge', defende que a pandemia de Covid-19 veio sublinhar a urgência da prevenção.

“As pessoas com diabetes e obesidade correm um risco mais elevado no caso de infeção por Covid-19, sabemos que a desigualdade social está intimamente ligada à desigualdade na saúde e sabemos que a obesidade é mais prevalente nas pessoas com nível socioeconómico mais baixo e que, ao mesmo tempo, são as áreas socioeconomicamente mais desfavorecidas que têm um acesso mais limitado a alimentos saudáveis e a preços acessíveis”, explicou a responsável.

“É um ciclo não virtuoso que é preciso quebrar”, observou Helena Novais, insistindo que a intenção é desafiar organizações sociais, grupos de jovens, comunidades religiosas, instituições públicas e organizações privadas em todo o mundo, incluindo em Portugal.

Quanto ao problema da obesidade, Helena Novais reconhece que “o cenário em Portugal não é animador”, pois “mais e metade dos portugueses vivem ou com obesidade ou pré-obesidade [62% nos dados de um estudo do ano passado do Instituto Ricardo Jorge] e que a obesidade é o fator de risco modificável mais significativo e é preciso atuar sobre ele”.

“Este projeto pode trazer um desafio para os diferentes atores em Portugal testarem soluções que, de outra forma, podiam ter dificuldades em arrancar (…). Não é só o incentivo financeiro, mas é ter acesso a um projeto em que há apoio no desenvolvimento das propostas e partilha de conhecimento com outras organizações de outros países”, observou.

“Seria ótimo ver uma ideia do nosso país ser discutida na cimeira das Nações Unidas sobre os sistemas alimentares, que vai ocorrer no final deste ano e que é onde as três ideias vencedoras serão apresentadas”, disse.

As ideias podem ser submetidas em thehealthyfoodchallenge.com entre 01 e 19 de março e haverá dois momentos de seleção: um entre fevereiro e setembro e um último em outubro. As três eleitas receberão 100.000 dólares (mais de 83.000 euros) cada.

“Temos em Portugal boas ideias e bons projetos que, com o incentivo certo, podem estar entre as três apoiadas no âmbito deste desafio”, disse Helena Novais, sublinhando que, com a promoção de ambientes alimentares mais saudáveis para os mais vulneráveis, também se contribui para reduzir as desigualdades em saúde.

Urgências no SNS – só empurrar o problema não o resolve
Editorial | Gil Correia
Urgências no SNS – só empurrar o problema não o resolve

É quase esquizofrénico no mesmo mês em que se discute a carência de Médicos de Família no SNS empurrar, por decreto, os doentes que recorrem aos Serviços de Urgência (SU) hospitalares para os Centros de Saúde. A resolução do problema das urgências em Portugal passa necessariamente pelo repensar do sistema, do acesso e de formas inteligentes e eficientes de garantir os cuidados na medida e tempo de quem deles necessita. Os Cuidados de Saúde Primários têm aqui, naturalmente, um papel fundamental.