Houve menos 1,2 milhões de consultas de especialidade hospitalar em 2020
DATA
10/02/2021 14:28:21
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



Houve menos 1,2 milhões de consultas de especialidade hospitalar em 2020

O número de consultas de especialidade hospitalar caiu em 2020 face ao ano anterior devido à resposta à pandemia de covid-19, realizando-se menos 1,2 milhões de consultas, adiantou esta quarta-feira a ministra da Saúde, Marta Temido.

 

“Nos hospitais, a atividade assistencial de dezembro de 2020, comparada com 2019, registou uma diminuição nas principais linhas de atividade, designadamente na consulta de especialidade hospitalar. Em dezembro de 2020 havia menos 1,2 milhões de consultas face ao volume de 12,4 milhões de consultas que se tinham realizado em 2019”, afirmou a ministra numa audição na comissão parlamentar de Saúde.

Admitiu ainda o aumento do número de utentes sem médico de família em 2020, com mais cerca de 105 mil utentes, face à subida do número de inscritos ativos nos cuidados de saúde primários.

“Houve um desequilíbrio assinalável entre o número de aposentações face às entradas de profissionais de medicina geral e familiar”, reconheceu.

Contudo, assinalou a importância do mecanismo de incentivo para a recuperação de cirurgias e primeiras consultas previsto no Programa de Estabilização Económica e Social (PEES) para o relançamento da atividade assistencial no SNS, independentemente de acordos com outros setores do sistema de saúde.

“Permitiu realizar quase 16 mil cirurgias em atividade adicional, com uma execução de 15,5 milhões de euros, e quase 60 mil consultas hospitalares em atividade adicional, com uma execução de 1,7 milhões. Um resultado de execução global de 17,2 milhões de euros”, sublinhou.

 

As certezas enganadoras sobre os Outros
Editorial | Mário Santos
As certezas enganadoras sobre os Outros

No processo de reflexão da minha prática clínica, levo em conta para além do meu índice de desempenho geral (IDG) e da satisfação dos meus pacientes, a opinião dos Outros. Não deixo, por isso, de ler as entrevistas cujos destaques despertam em mim o interesse sobre o que pensam e o que esperam das minhas funções, como médico de família. Selecionei alguns títulos divulgados pelo Jornal Médico, que mereceram a minha atenção no último ano: