Governo cria grupo de trabalho para melhorar o acesso à Procriação Medicamente Assistida
DATA
11/02/2021 12:44:50
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



Governo cria grupo de trabalho para melhorar o acesso à Procriação Medicamente Assistida

O Ministério da Saúde criou um grupo de trabalho com vista à apresentação de propostas para melhorar o acesso à Procriação Medicamente Assistida (PMA) e promover doações ao Banco Público de Gâmetas. O grupo tem 90 dias para finalizar o trabalho.

 

“PMA é uma medida de justiça social que garante aos cidadãos o direito a constituir família com filhos, em especial, aqueles que se veem impedidos de aceder às técnicas por razões de ordem económica e social” e que, por isso, cabe “ao Estado a garantia de acesso a tratamento e cuidados de saúde de qualidade, compreensivos e atempados à população”, reconhece o despacho assinado pelo Secretário de Estado Adjunto e da Saúde, António Lacerda Sales.

Esta criação visa promover um amplo debate e apresentar um relatório de avaliação do alargamento dos programas públicos de PMA e a definição de estratégias de promoção de doações ao Banco Público de Gâmetas.

O grupo de trabalho é coordenado pela Direção-Geral da Saúde (DGS) e composto por membros de vários organismos, nomeadamente a Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS), o Conselho Nacional de Ética para as Ciências da Vida, a Ordem dos Médicos, a Ordem dos Enfermeiros, a Sociedade Portuguesa de Medicina da Reprodução, a Associação Portuguesa de Fertilidade e de cada banco e centro público autorizado a ministrar as técnicas de PMA.

#sejamestrelas
Editorial | António Luz Pereira
#sejamestrelas

Ciclicamente as capas dos jornais são preenchidas com o número de novos médicos. Por instantes todos prestam atenção aos números. Sim, para muitos são apenas números. Para nós, são colegas que se decidiram pelo compromisso com os utentes nas mais diversas áreas. Por isso, queremos deixar a todos, mas especialmente aqueles que abraçaram este ano a melhor especialidade do Mundo uma mensagem: “Sejam Estrelas”.

Mais lidas