Comissária europeia da saúde defende sistemas de saúde "mais resilientes"
DATA
24/02/2021 09:30:50
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



Comissária europeia da saúde defende sistemas de saúde "mais resilientes"
A comissária europeia da Saúde, Stella Kyriakides, defendeu que os 27 Estados-membros da União Europeia (UE) devem preparar sistemas de saúde "mais resilientes" para combater futuras pandemias.

“Acredito que o que precisamos de fazer é realmente focarmo-nos não apenas na saída desta pandemia, mas também prepararmo-nos para uma próxima com sistemas de saúde mais resilientes”, indicou Stella Kyriakides, que intervinha numa videoconferência sobre a forma como a Covid-19 alterou a política de investigação e inovação (I&I).

A responsável pela pasta da saúde no executivo comunitário lembrou que o combate à pandemia só poderá ter sucesso se houver “coordenação e solidariedade” de todos os países do mundo.

É por essa razão que a Incubadora HERA (sigla da futura Autoridade Europeia de Preparação e Resposta a Emergências de Saúde), lançada pela Comissão Europeia no passado dia 17 de fevereiro, será aberta a países que não estejam incluídos na União Europeia, como a Suíça.

“A HERA implica necessariamente a coordenação entre muitas agências semelhantes”, justificou a comissária, acrescentando, contudo, que a proposta em torno desta incubadora vai “avançar no final deste ano”, altura em que a Comissão poderá dar mais detalhes sobre esta matéria.

De acordo com Stella Kyriakides, a incubadora HERA visa “fornecer incentivos para desenvolver vacinas, para acelerar o seu processo de aprovação e garantir um aumento da capacidade de produção” das mesmas.

Esta iniciativa da Comissão Europeia pretende assim proceder a uma melhor deteção das estirpes da Covid-19, envolvendo investigadores, empresas biotecnológicas, fabricantes, reguladores e autoridades públicas, para monitorizar variantes, trocar dados e cooperar na adaptação de vacinas.

Já em relação ao Espaço Europeu da Saúde, uma outra proposta da Comissão Europeia, Stella Kyriakides sublinhou que esta tem “recebido apoio por parte de todos os Estados-membros” e acrescentou que a Conferência sobre o Futuro da Europa será “um bom ponto de partida para avançar com esta discussão”.

A comissária participou na videoconferência “Como a Covid-19 deu à Europa um novo projeto para a política de I&I no domínio da saúde?”, organizada pela Science/Business Network, uma plataforma que reúne organizações europeias das áreas da investigação científica, inovação, indústria e políticas públicas.

Crónicas de uma pandemia anunciada
Editorial | Jornal Médico
Crónicas de uma pandemia anunciada

Era 11 de março de 2020, quando a Organização Mundial de Saúde declarou o estado de Pandemia por COVID-19 e a organização dos serviços saúde, como conhecíamos até então, mudou. Reorganizaram-se serviços, redefiniram-se prioridades, com um fim comum: combater o SARS-CoV-2 e evitar o colapso do Serviço Nacional de Saúde, que, sem pandemia, já vivia em constante sobrecarga.

Mais lidas