Hospitais Portugueses lideram ranking em estudo de relevância em responsabilidade social
DATA
04/03/2021 10:28:37
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



Hospitais Portugueses lideram ranking em estudo de relevância em responsabilidade social

A consultora OnStrategy divulgou que os hospitais portugueses lideram o ranking das marcas mais relevantes em responsabilidade social, no âmbito do estudo de relevância em responsabilidade social das marcas com os cidadãos portugueses consolidando a informação referente aos 12 meses de 2020.

“Ao analisarmos os resultados deste índice em conformidade com as normas ISO20671 e ISO10668 que consolida os atributos de admiração, relevância, confiança, apoio aos cidadãos, apoio a causas nobres, proteção ambiental, promoção de conhecimento e educação, e influência positiva na sociedade das marcas junto dos cidadãos em Portugal, verificamos que o ano de 2020 penalizou de uma forma geral as marcas mais comerciais e colocou em destaque o setor da saúde com um conjunto de marcas que recolheram as melhores avaliações sobre a sua atuação e consequentemente sobre a reputação das mesmas na dimensão de responsabilidade social”, refere o CEO da OnStrategy, Pedro Tavares, em comunicado.

Adianta ainda que “no cenário de pandemia que se vive há um ano não é estranho que o setor da saúde seja o mais exposto e que pela primeira vez as suas marcas sejam as mais relevantes e melhor consideradas e avaliadas pelo esforço, dedicação e resultados”.

Numa escala de 100 pontos, e entre mais de 40 setores de atividade, este estudo vem destacar pela primeira vez as marcas associadas ao setor da saúde, que registam os melhores índices. No topo surge o Hospital de São João (81,9 pts), seguido do Santa Maria (81,7 pts), da CUF (81,5 pts), do Hospital da Luz (81,4) e dos Lusíadas (81,1 pts).

“Porque os tempos mudaram e as motivações e preocupações dos cidadãos mudaram também, para as marcas dos outros setores de atividade surge um novo desafio sobre a forma de atuar e de serem mais relevantes sendo uma das vias a construção de pontes com o setor da saúde”, conclui Pedro Tavares.

Crónicas de uma pandemia anunciada
Editorial | Jornal Médico
Crónicas de uma pandemia anunciada

Era 11 de março de 2020, quando a Organização Mundial de Saúde declarou o estado de Pandemia por COVID-19 e a organização dos serviços saúde, como conhecíamos até então, mudou. Reorganizaram-se serviços, redefiniram-se prioridades, com um fim comum: combater o SARS-CoV-2 e evitar o colapso do Serviço Nacional de Saúde, que, sem pandemia, já vivia em constante sobrecarga.

Mais lidas