Portugal suspende uso da vacina da AstraZeneca
DATA
16/03/2021 10:02:19
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS




Portugal suspende uso da vacina da AstraZeneca
As autoridades de saúde portuguesas suspenderam o uso da vacina da AstraZeneca contra a Covid-19 por motivos de “precaução” e “saúde pública”. A decisão anunciada pelo Infarmed, Direção-Geral da Saúde e pelo coordenador da ‘task force’ para a vacinação contra a Covid-19 surge após vários países europeus também já terem suspendido devido a relatos de aparecimento de coágulos sanguíneos em pessoas vacinadas.

Espanha, Itália, Alemanha, França, Noruega, Áustria, Estónia, Lituânia, Letónia, Luxemburgo e Dinamarca, além de outros países, incluindo fora da Europa, já interromperam por “precaução” o uso da vacina da AstraZeneca, após relatos de casos graves de coágulos sanguíneos em pessoas que foram vacinadas com doses do fármaco.

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) e a Organização Mundial de Saúde (OMS) confirmaram que os dados disponíveis não sugerem que a vacina da AstraZeneca tenha causado os coágulos e que as pessoas podem continuar a ser imunizadas com esse fármaco.

Se os jovens Médicos de Família querem permanecer no SNS e se o SNS precisa deles, o que falta?
Editorial | António Luz Pereira
Se os jovens Médicos de Família querem permanecer no SNS e se o SNS precisa deles, o que falta?

Nestes últimos dias tem sido notícia o número de vagas que ficaram por preencher, o número de jovens Médicos de Família que não escolheram vaga e o número de utentes que vão permanecer sem médico de família. Há três grandes razões para isto acontecer e que carecem de correção urgente para conseguir cativar os jovens Médicos de Família.

Mais lidas