OM reúne-se com ACSS para discutir formação das especialidades e concursos médicos
DATA
24/03/2021 16:41:14
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS




OM reúne-se com ACSS para discutir formação das especialidades e concursos médicos

O bastonário da Ordem dos Médicos reuniu-se esta terça-feira com o novo presidente do Conselho Diretivo da Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS) para agilizarem processos e procedimentos que garantam rapidez na publicação de novos programas de formação dos internatos das especialidades e na abertura e conclusão dos concursos médicos.

 

“No encontro tivemos a oportunidade de congratular Vítor Herdeiro e a sua equipa pelas novas funções e manifestar a total abertura e disponibilidade da Ordem dos Médicos para colaborar com a ACSS no sentido de simplificar procedimentos que possam ajudar a tornar mais célere a aprovação e publicação de programas de formação das especialidades e a abertura e conclusão de concursos médicos”, explica Miguel Guimarães, em nota enviada.

Adianta ainda que “a Ordem dos Médicos e o Conselho Nacional do Internato Médico têm aprovado novos programas de formação para várias especialidades, essenciais numa medicina que está em permanente evolução e que é cada vez mais exigente, mas depois a publicação final dos programas tem sofrido atrasos importantes, com barreiras administrativas que poderão ser ultrapassadas pela nova equipa da ACSS”.

“O atraso na abertura e conclusão de concursos públicos médicos tem um impacto negativo na progressão e valorização dos médicos. A ACSS mostrou-se particularmente sensível à importância da carreira médica”, conclui Miguel Guimarães.

Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?
Editorial | Denise Cunha Velho
Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?

Sou do tempo em que, na Zona Centro, não se conhecia a grelha de avaliação curricular, do exame final da especialidade. Cada Interno fazia o melhor que sabia e podia, com os conselhos dos seus orientadores e de internos de anos anteriores. Tive a sorte de ter uma orientadora muito dinâmica e que me deu espaço para desenvolver projectos e actividades que me mantiveram motivada, mas o verdadeiro foco sempre foi o de aprender a comunicar o melhor possível com as pessoas que nos procuram e a abordar correctamente os seus problemas. Se me perguntarem se gostaria de ter sabido melhor o que se esperava que fizesse durante os meus três anos de especialidade, responderei afirmativamente, contudo acho que temos vindo a caminhar para o outro extremo.