Ministra da saúde diz que reforço do SNS permitiu combater pandemia
DATA
26/03/2021 10:09:19
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



Ministra da saúde diz que reforço do SNS permitiu combater pandemia

A ministra da Saúde, Marta Temido, disse que o reforço no Serviço Nacional de Saúde (SNS) permitiu “de forma inegável combater” a pandemia de Covid-19, destacando que Portugal é atualmente “o segundo país com melhores números da União Europeia”.

“Houve na parte da saúde um instrumento significativo para o combate à pandemia nesta fase que foi possibilitar o reforço dos recursos humanos em unidades de saúde”, afirmou Marta Temido no parlamento.

Referindo reforços que foram feitos no SNS, Marta Temido afirmou que “excecionalmente foi aumentada a remuneração pelo trabalho prestado, alterada a remuneração do trabalho suplementar para mais de 50% daquilo que era o seu acréscimo normal, alargados os horários de trabalho das 35 para as 42 horas semanais, contratação de mais médicos e enfermeiros e recurso a novos mecanismos no trabalho por turnos”.

“Este mecanismo permitiu de forma inegável combater melhor a pandemia em termos de respostas do sistema de saúde”, sustentou,

Destacou ainda que nos períodos analisados nos dois relatórios do estado de emergência registou-se uma “melhoria da situação epidemiológica” e uma “redução no número de novos casos” de Covid-19, situação que se verificava desde o fim de janeiro.

Contudo, referiu que “foi necessário recorrer ao sistema sancionatória instituído pelo regime do estado de emergência, tendo sido aplicadas, durante aquele período, 6319 contraordenações por incumprimento ao dever geral de recolhimento domiciliário e detidas 32 pessoas”.

“Pautou-se uma vez mais pelo cumprimento dos portugueses em relação ao dever geral que se lhes pedia”, finalizou.

Se os jovens Médicos de Família querem permanecer no SNS e se o SNS precisa deles, o que falta?
Editorial | António Luz Pereira
Se os jovens Médicos de Família querem permanecer no SNS e se o SNS precisa deles, o que falta?

Nestes últimos dias tem sido notícia o número de vagas que ficaram por preencher, o número de jovens Médicos de Família que não escolheram vaga e o número de utentes que vão permanecer sem médico de família. Há três grandes razões para isto acontecer e que carecem de correção urgente para conseguir cativar os jovens Médicos de Família.

Mais lidas