SPAVC promove atividades para assinalar o Dia Nacional do Doente com AVC
DATA
31/03/2021 09:46:00
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



SPAVC promove atividades para assinalar o Dia Nacional do Doente com AVC
No âmbito da Quinzena do AVC, uma iniciativa com vista à sensibilização para o Acidente Vascular Cerebral (AVC), a Sociedade Portuguesa do AVC (SPAVC) está a programar, em conjunto com outros parceiros, algumas atividades que irão decorrer em formato online, para assinalar o Dia Nacional do Doente com AVC.

Comemorado anualmente a 31 de março, o objetivo do Dia Nacional do Doente com AVC “passa por sensibilizar a população para a realidade da doença em Portugal e promover a melhoria das práticas profissionais de saúde prestadas aos doentes com AVC”, explica a SPAVC, em nota enviada.

Neste sentido, a SPAVC está a promover um conjunto de webinars que se vão estender até 7 de abril, Dia Mundial da Saúde.

O webinar “Reabilitação do AVC”, desde o internamento até ao domicílio’ é uma ação conjunta da SPAVC e do CONSANAS Hospital da Prelada, que decorrerá no dia 31 de março, Dia Nacional do Doente com AVC. A sessão coordenada por Jorge Laíns e Renato Nunes terá em debate “conceitos gerais sobre o tema e abordados tópicos como a fase aguda, a orientação do doente, a fase subaguda/programas de internamento, e a fase crónica/integração/comunidade”.

No dia a 8 de abril, vai decorrer o webinar “O papel ativo do Enfermeiro para além das portas da U-AVC”. Esta é uma sessão organizada conjuntamente pela SPAVC e pela iniciativa Angels, em colaboração com a Portugal Angels Nurse Task Force.

“Nos canais de redes sociais iremos desenvolver uma campanha multimédia dirigida à população, com explicações simples, mas de extrema importância, no que toca à prevenção, sinais de alerta e atitudes a tomar em caso de AVC”, sublinha Liliana Pereira, neurologista do Hospital Garcia de Orta.

Crónicas de uma pandemia anunciada
Editorial | Jornal Médico
Crónicas de uma pandemia anunciada

Era 11 de março de 2020, quando a Organização Mundial de Saúde declarou o estado de Pandemia por COVID-19 e a organização dos serviços saúde, como conhecíamos até então, mudou. Reorganizaram-se serviços, redefiniram-se prioridades, com um fim comum: combater o SARS-CoV-2 e evitar o colapso do Serviço Nacional de Saúde, que, sem pandemia, já vivia em constante sobrecarga.

Mais lidas