Covid-19: Vacina portuguesa revela capacidade de produção de anticorpos
DATA
15/04/2021 17:15:35
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS




Covid-19: Vacina portuguesa revela capacidade de produção de anticorpos

A Immunethep, empresa de biotecnologia portuguesa, divulgou os resultados preliminares dos ensaios pré-clínicos da sua vacina SILBA (SARS-CoV-2 Inactivated for Lung B and T cell Activation), que demonstraram uma capacidade de produção robusta de anticorpos específicos contra o SARS-CoV-2.

 

Em comunicado, a empresa revela que nestes ensaios pré-clínicos, “20 animais receberam duas administrações da vacina com três semanas de intervalo entre cada administração e foram utilizados dois grupos de animais imunizados, por forma a testar duas doses diferentes da vacina - Low Dose (LD), correspondendo a uma quantidade menor de vírus inativado por dose de vacina; High Dose (HD), uma quantidade elevada de vírus inativado por dose de vacina”.

Frisa ainda que “uma semana após a administração da última dose foi quantificado no soro destes animais a presença de anticorpos contra a proteína Spike do SARS-CoV-2, mais especificamente para o domínio RBD desta proteína”.

O cofundador e diretor científico da Immunethep, Pedro Madureira, recorda que “através destes ensaios clínicos foi possível confirmar a capacidade de os anticorpos produzidos neutralizarem a propagação do vírus em culturas de células in vitro”.

Como grupo controlo foram usados, neste ensaio clínico, “20 animais que receberam apenas o adjuvante da vacina, um análogo sintético de RNA. Comparativamente com os animais do grupo de controlo, os animais imunizados apresentaram consistentemente uma maior quantidade de anticorpos contra o domínio RBD da proteína Spike”.

“Os dados obtidos até ao momento são muito promissores e indicadores do potencial desta vacina uma vez que, através dos dados que se conhecem das vacinas já existentes, anticorpos contra este domínio RBD da proteína Spike, estão associados a uma proteção contra a Covid-19”, afirma o cofundador e CEO da Immunethep, Bruno Santos.

“São excelentes indicadores para os ensaios de eficácia em curso que tencionamos terminar no final de maio, dando lugar aos ensaios clínicos em humanos. Estes resultados permitem a Immunethep continuar a cumprir os objetivos a que se propôs: demonstrar a eficácia e qualidade da vacina SILBA em ensaios pré-clínicos no primeiro semestre deste ano e contribuir com uma solução para dar resposta à pandemia”, acrescenta.

Outra particularidade desta vacina é o facto de ser de administração intranasal, “o que permite maximizar a imunidade ao nível das mucosas pulmonares, canal preferencial de entrada do vírus no organismo”, pode ler-se em nota enviada.

Preparados para o Futuro? // Preparar o Futuro
Editorial | Conceição Outeirinho
Preparados para o Futuro? // Preparar o Futuro

O início da segunda década deste século, foram anos de testagem. Prova intensa, e avassaladora aos serviços de saúde e aos seus profissionais, determinada pelo contexto pandémico. As fragilidades do sistema de saúde revelaram-se de modo mais acentuado, mas por outro lado, deu a conhecer o nível de capacidade de resposta, nomeadamente dos seus profissionais.