Polimedicação no idoso em foco no 19º ENIJMF

O tema da polimedicação no idoso estará em foco numa das sessões do 19º Encontro Nacional de Internos e Jovens Médicos de Família (ENIJMF),  que se realiza nos dias 19 a 21 de maio.

A Comissão de Internos da Região Autónoma da Madeira (CIRAM) vai organizar, em parceria com a Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar (APMGF), uma mesa redonda, no dia 21 de maio, dedicada ao tema “Polimedicação no idoso”, que pretende debater a polimedicação inapropriada, hoje reconhecida como um problema de saúde pública, conforme comunicado.

Esta será ainda uma oportunidade para discutir acerca das várias ferramentas que podem auxiliar na prescrição ou na revisão terapêutica com vista à aplicação de regimes terapêuticos mais eficazes e seguros.

O médico interno de Formação Específica de Medicina Geral e Familiar que integra a CIRAM e organizador da mesa redonda, João Freitas, espera que nesta sessão sejam “exploradas técnicas com provas dadas de eficácia no que toca à desprescrição de diferentes tipos de fármacos”.

Para João Freitas, é evidente que “apesar de haver uma crescente consciencialização na área da polimedicação, dos suplementos alimentares e outros adjuvantes não farmacológicos, ainda há muita resistência no que toca à «não medicação», tanto da nossa, do clínico, como da parte dos utentes. Um número significativo destes últimos ainda pensa que se não saírem da consulta com um medicamento para tomar não foram bem atendidos”, sublinhando que “as escolas médicas também desempenham um papel preponderante e considero que esforços têm sido feitos no sentido de contrariar a tendência da polimedicação e alertar para a prevenção quaternária”.

Um ano depois…
Editorial | Susete Simões
Um ano depois…

Corria o ano de 2020. A Primavera estava a desabrochar e os dias mais quentes e longos convidavam a passeios nos jardins e nos parques, a convívios e desportos ao ar livre. Mas quando ela, de facto, chegou, a vida estava em suspenso e tudo o que era básico e que tínhamos como garantido, tinha fugido. Vimos a Primavera através de vidros, os amigos e familiares pelos ecrãs. As ruas desertas, as mensagens nas varandas, as escolas e parques infantis silenciosos. Faz agora um ano.

Mais lidas