Healthcare Excellence: Prémio vai reconhecer os melhores projetos de Saúde em Portugal
DATA
03/05/2021 14:20:19
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



Healthcare Excellence: Prémio vai reconhecer os melhores projetos de Saúde em Portugal

Distinguir e incentivar projetos nacionais é o objetivo da oitava edição do Prémio Healthcare Excellence, promovido pela Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares (APAH) em parceria com a biofarmacêutica AbbVie.

O Prémio Healthcare Excellence, pelo segundo ano consecutivo, vai abrir as candidaturas às organizações públicas, sociais e privadas de Portugal Continental e Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira, conforme comunicado enviado.  Este prémio pretende dar reconhecimento a projetos nacionais, desenvolvidos no “âmbito da garantia do acesso, da qualidade e da integração e gestão de respostas às necessidades dos utentes no atual enquadramento pandémico”.

Podem candidatar-se equipas de profissionais de saúde e de outros profissionais, cujos projetos tenham sido implementados em 2020 e no primeiro semestre de 2021, e que tenham resultado numa melhoria significativa da segurança, do acesso e da eficiência nos cuidados de saúde.

“Em 2020, em plena pandemia, registámos um número recorde de candidaturas numa clara demonstração de resiliência e inovação por parte das nossas organizações. Nesta nova edição, esperamos reconhecer e distinguir os muitos projetos que nasceram neste contexto pandémico com o propósito de continuar a garantir o acesso aos cuidados de saúde de todos os doentes – covid e não-covid. Acreditamos que nunca o Prémio Healthcare Excellence fez tanto sentido como hoje”, afirma o presidente da APAH, Alexandre Lourenço.

As candidaturas, que decorrem de 1 de maio a 30 de junho, serão avaliadas por um júri que inclui profissionais reconhecidos na área da saúde. O prémio é no valor de 5000 euros e destina-se à instituição onde o projeto foi desenvolvido.

Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?
Editorial | Denise Cunha Velho
Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?

Sou do tempo em que, na Zona Centro, não se conhecia a grelha de avaliação curricular, do exame final da especialidade. Cada Interno fazia o melhor que sabia e podia, com os conselhos dos seus orientadores e de internos de anos anteriores. Tive a sorte de ter uma orientadora muito dinâmica e que me deu espaço para desenvolver projectos e actividades que me mantiveram motivada, mas o verdadeiro foco sempre foi o de aprender a comunicar o melhor possível com as pessoas que nos procuram e a abordar correctamente os seus problemas. Se me perguntarem se gostaria de ter sabido melhor o que se esperava que fizesse durante os meus três anos de especialidade, responderei afirmativamente, contudo acho que temos vindo a caminhar para o outro extremo.