OMS considera que "disparidade chocante" no acesso a vacinas impede fim da pandemia
DATA
11/05/2021 09:44:05
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



OMS considera que "disparidade chocante" no acesso a vacinas impede fim da pandemia

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou que a “disparidade chocante” no acesso às vacinas impede o fim da pandemia da Covid-19.

O dirigente da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, disse que “a disparidade chocante no acesso às vacinas continua a ser um dos maiores riscos para o fim da pandemia”, como noticia a agência Lusa. O médico tem criticado a falta de equidade na distribuição e administração de vacinas contra a Covid-19.

"A falta de cooperação é que está a atrasar o combate à pandemia", enfatizou, assinalando que não se pode vencer "um inimigo comum", mediante "a competitividade". Disse ainda que é "a cooperação e a solidariedade" entre países, e não a "diplomacia da vacina", que "pode ajudar ao fim da pandemia".

O diretor-geral da OMS apelou igualmente aos líderes mundiais para que "utilizem todas as ferramentas à disposição para reduzir a transmissão" do vírus e a disseminação de variantes, incluindo a aplicação consistente de medidas de saúde pública, relembrando que os países mais ricos receberam 83% do total de vacinas disponíveis, enquanto que os mais pobres apenas receberam 17%.

Se os jovens Médicos de Família querem permanecer no SNS e se o SNS precisa deles, o que falta?
Editorial | António Luz Pereira
Se os jovens Médicos de Família querem permanecer no SNS e se o SNS precisa deles, o que falta?

Nestes últimos dias tem sido notícia o número de vagas que ficaram por preencher, o número de jovens Médicos de Família que não escolheram vaga e o número de utentes que vão permanecer sem médico de família. Há três grandes razões para isto acontecer e que carecem de correção urgente para conseguir cativar os jovens Médicos de Família.

Mais lidas