APIFARMA debate a temática do cancro em conferência internacional
DATA
24/05/2021 09:52:02
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



APIFARMA debate a temática do cancro em conferência internacional

A Associação Portuguesa da Indústria Farmacêutica (Apifarma) organiza a Conferência Internacional “Cancro: Cada Dia Conta – Da Prioridade à Ação”, a decorrer no dia 26 de maio, via online. A iniciativa nasce com o propósito de abrir uma nova ponte de diálogo suscetível de tornar a Oncologia uma “prioridade tanto no plano nacional como no europeu”.

 

Em comunicado, a APIFARMA explica que se pretende com esta nova plataforma “estabelecer uma plataforma diálogo”, na geografia oncológica nacional e europeia, centrar as atenções “na equidade do acesso à inovação”.

Durante a manhã será apresentado o estudo “Oncologia em Portugal: Onde estamos e para onde queremos ir”. As recomendações e conclusões resultam do trabalho prévio de grupos de reflexão sobre os quatro pilares do Plano Europeu de Combate ao Cancro, nomeadamente prevenção, diagnóstico, tratamento e qualidade de vida.

E, precisamente, no âmbito da presidência portuguesa, a APIFARMA desenvolveu o projeto “Liderança Europeia na Saúde: Não deixar ninguém para trás”, que inclui diversas iniciativas de caráter público. O objetivo é “reforçar o compromisso das empresas da indústria farmacêutica para mais e melhor saúde para todos os cidadãos europeus. A conferência “Cancro: Cada Dia Conta – Da Prioridade à Ação” integra este projeto” pode ler-se em nota enviada.

Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?
Editorial | Denise Cunha Velho
Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?

Sou do tempo em que, na Zona Centro, não se conhecia a grelha de avaliação curricular, do exame final da especialidade. Cada Interno fazia o melhor que sabia e podia, com os conselhos dos seus orientadores e de internos de anos anteriores. Tive a sorte de ter uma orientadora muito dinâmica e que me deu espaço para desenvolver projectos e actividades que me mantiveram motivada, mas o verdadeiro foco sempre foi o de aprender a comunicar o melhor possível com as pessoas que nos procuram e a abordar correctamente os seus problemas. Se me perguntarem se gostaria de ter sabido melhor o que se esperava que fizesse durante os meus três anos de especialidade, responderei afirmativamente, contudo acho que temos vindo a caminhar para o outro extremo.