19.º Prémio de Nutrição Clínica Fresenius Kabi apresentado hoje
DATA
28/05/2021 09:40:34
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS

19.º Prémio de Nutrição Clínica Fresenius Kabi apresentado hoje

“A malnutrição e o seu impacto são ainda desconhecidos em Portugal” é a afirmação que dá suporte à 19.º edição do Prémio de Nutrição Clínica Fresenius Kabi. Apresentado hoje, o prémio pretende estimular o desenvolvimento de evidência científica nesta área.

Lançado à margem do XXIII Congresso da Associação Portuguesa De Nutrição Entérica e Parentérica (APNEP), a Fresenius Kabi visa distinguir os estudos mais relevantes.

Conforme nota enviada, a iniciativa tem um duplo aliciante, que totaliza neste campo específico um valor de 15 mil euros:  o prémio de investigação (no valor de 10 mil euros) e a bolsa de investigação (5 mil euros).

“É crucial fomentar a formação das equipas multidisciplinares e criar condições para o desenvolvimento de projetos de investigação na área da nutrição clínica que permitam promover a avaliação nutricional de todos os doentes e garantir a implementação e a acessibilidade das terapêuticas nutricionais adequadas”, afirma o diretor técnico da Fresenius Kabi, Miguel Vigeant Gomes.

Contextualizando o tema, a malnutrição é um problema nutricional grave. Estima-se que dois em cada quatro adultos internados nos hospitais estão em risco de malnutrição e 115 mil doentes não têm acesso à nutrição clínica neste momento, registo este agravado pela pandemia.

Os interessados em concorrer poderão submeter a sua candidatura até ao dia 30 de novembro de 2021 através do link.

As candidaturas estão organizadas em duas categorias: Prémio de Investigação, para submissão de trabalhos já terminados; e Bolsa de investigação, para propostas de trabalhos a desenvolver.

Os vencedores do Prémio e da Bolsa de Investigação são conhecidos em novembro de 2021, em data e local a definir. 

 

Governação Clínica
Editorial | Joana Romeira Torres
Governação Clínica

O Serviço Nacional de Saúde em Portugal foi criado e cresceu numa matriz de gestão napoleónica, baseada numa forte regulamentação, hierarquização e subordinação ao poder executivo, tendo como objeto leis e regulamentos para reger a atividade de serviços públicos no geral, existindo ausência de regulamentação relativa à sua articulação com os serviços sociais e económicos.

Mais lidas