COVID-19: Autotestes passam a integrar a Estratégia Nacional de Testes
DATA
08/06/2021 16:56:41
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



COVID-19: Autotestes passam a integrar a Estratégia Nacional de Testes

Os autotestes à COVID-19 vão passar a integrar a Estratégia Nacional de Testes para SARS-CoV-2. Assim o determina a norma da Direção-Geral da Saúde (DGS), segundo a qual os centros de saúde podem realizar o teste a utentes assintomáticos se estes o consentirem.

De acordo com a DGS, os rastreios devem ser periódicos nos concelhos com incidência cumulativa a 14 dias superior a 120 casos por 100 mil habitantes ou em concelhos com incidência cumulativa inferior, feita a avaliação de risco epidemiológico a nível regional e/ou local pela autoridade de saúde territorialmente competente.

“Para o controlo da transmissão comunitária e monitorização da evolução epidemiológica da COVID-19, são ainda disponibilizados TRAg [testes rápidos de antigénio] nas Unidades dos Agrupamentos de Centros de Saúde (ACES) e nas Unidades Locais de Saúde (ULS) aos utentes assintomáticos com consulta presencial, que consintam a sua realização”, adianta a DGS.

No que diz respeito ao recurso aos autotestes, que as pessoas podem comprar nas farmácias ou parafarmácias, é assinalado que essa opção não substitui, mas complementa, a utilização dos restantes testes laboratoriais para a COVID-19. A DGS acrescenta que os autotestes “não devem ser considerados como testes de diagnóstico em pessoas com suspeita de infeção por SARS-CoV-2 (pessoas sintomáticas) ou pessoas com contactos com casos confirmados”.

Através da utilização adequada de testes laboratoriais para deteção e isolamento precoce de casos, esta estratégia tem como objetivos “reduzir e controlar a transmissão da infeção por SARS-CoV-2, prevenir e mitigar o impacto da infeção nos serviços de saúde e nas populações vulneráveis e monitorizar a evolução epidemiológica da doença”.

Os testes laboratoriais disponíveis em Portugal são os moleculares de amplificação de ácidos nucleicos, que incluem os testes RT-PCR convencional, os testes rápidos de antigénio, os autotestes, e os testes serológicos, que avaliam a resposta imunológica à infeção.

MGF 2020-30: Desafios e oportunidades
Editorial | Gil Correia
MGF 2020-30: Desafios e oportunidades

Em março de 2020 vivemos a ilusão de que algumas semanas de confinamento nos libertariam para um futuro sem Covid-19. No resto do ano acreditámos que em 2021 a realidade voltaria. Mas, por definição, a crise é uma mudança de paradigma. O normal mudou. Importa que a Medicina Geral e Familiar se adapte e aproveite as oportunidades criadas. A Telemedicina, a desburocratização e um ambiente de informação, amigável flexível e unificado são áreas que me parecem fulcrais na projeção da MGF no futuro.

Mais lidas