APIFARMA cria novo website para comunicar os elos que ligam a indústria farmacêutica
DATA
17/06/2021 15:43:16
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


APIFARMA cria novo website para comunicar os elos que ligam a indústria farmacêutica

A Associação Portuguesa da Indústria Farmacêutica (APIFARMA) tem um novo website que atribui mais destaque à imagem e à fotografia, para comunicar os pontos comuns da indústria farmacêutica.

 

A plataforma apresenta como “grande novidade” a criação de um ciclo regular de entrevistas vídeo, denominado “A Conversa”. A primeira entrevista foi feita a Pedro Siza Vieira, ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital. O governante considerou que a “pandemia tornou explícita a necessidade de a Europa e de Portugal iniciarem um ciclo de reindustrialização dirigida para áreas específicas da indústria farmacêutica, de modo a corrigir a dependência excessiva de mercados longínquos”.

A conversa mais recente teve como protagonista Fernando Araújo. O presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar Universitário São João relevou, entre outros tópicos, que Portugal “possui um grau de conhecimento e de experiência, que, aliado aos grandes profissionais, permitiu responder à COVID-19 com resultados do ponto de vista clínico acima da média europeia”.

Outra novidade foi o desenvolvimento de um espaço de opinião da indústria farmacêutica, com o título “Na Dose Certa”.  Entretanto, a associação está a ultimar o lançamento de um serviço de podcast – “Pela Sua Saúde” – dedicado, como o nome desde logo indica, aos temas da saúde, da indústria farmacêutica, da investigação e desenvolvimento e da inovação.

Pode consultar o novo website da APIFARMA aqui.

Urgências no SNS – só empurrar o problema não o resolve
Editorial | Gil Correia
Urgências no SNS – só empurrar o problema não o resolve

É quase esquizofrénico no mesmo mês em que se discute a carência de Médicos de Família no SNS empurrar, por decreto, os doentes que recorrem aos Serviços de Urgência (SU) hospitalares para os Centros de Saúde. A resolução do problema das urgências em Portugal passa necessariamente pelo repensar do sistema, do acesso e de formas inteligentes e eficientes de garantir os cuidados na medida e tempo de quem deles necessita. Os Cuidados de Saúde Primários têm aqui, naturalmente, um papel fundamental.