COVID-19: SRCOM denuncia que médicos na reforma foram recusados para apoiar vacinação
DATA
24/06/2021 10:42:09
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



COVID-19: SRCOM denuncia que médicos na reforma foram recusados para apoiar vacinação

A Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos (SRCOM) afirmou que está a ser recusada a médicos aposentados a sua colaboração voluntária na vacinação contra a COVID-19, em Pinhal Litoral, distrito de Leiria.

 

Numa nota enviada à Lusa, a SRCOM denunciou que “chegaram inúmeras queixas” de médicos, alguns reformados, que pretendem voluntariamente integrar as equipas de vacinação, na área de influência do Agrupamento de Centros de Saúde do Pinhal Litoral.

“No momento em que é preciso vacinar cada vez mais pessoas, no momento em que é importante recuperar as listas de espera nos cuidados de saúde primários, sendo fundamental voltar a ter os médicos de família dedicados no dia a dia aos doentes dos seus ficheiros, é absolutamente incompreensível recusar a graciosa ajuda de médicos que revelam um profundo sentido de altruísmo”, reiterou o presidente da SRCOM, Carlos Cortes, citado na nota de imprensa. O líder sindical acrescenta que os clínicos pretendem “ajudar” o Serviço Nacional de Saúde (SNS), “numa tarefa fundamental para travar a pandemia e salvar vidas (…)”.

“Estamos a atravessar mais uma fase complexa, não faz sentido recusar trabalho voluntário nas equipas de vacinação. Estes médicos [alguns aposentados do SNS] seriam um excelente apoio ao processo de vacinação, mas o Ministério da Saúde entende que não precisa de ajuda num momento em que qualquer ajuda deve ser aproveitada para aumentarmos o número de pessoas vacinadas e aumentarmos a atividade assistencial de consultas”, argumentou.

Carlos Cortes frisou ainda que “estes médicos mantêm a vontade de participar ativamente, são experientes e têm um profundo sentido humanista”.

“O SNS está a fazer um trabalho excecional. É inaceitável o Ministério da Saúde não aproveitar quem queira contribuir para ajudar a ultrapassar esta crise pandémica”, rematou o presidente da SRCOM.

Governação Clínica
Editorial | Joana Romeira Torres
Governação Clínica

O Serviço Nacional de Saúde em Portugal foi criado e cresceu numa matriz de gestão napoleónica, baseada numa forte regulamentação, hierarquização e subordinação ao poder executivo, tendo como objeto leis e regulamentos para reger a atividade de serviços públicos no geral, existindo ausência de regulamentação relativa à sua articulação com os serviços sociais e económicos.

Mais lidas