SPO apresenta Programa Nacional de Genética e Cancro
DATA
22/07/2021 13:00:41
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



SPO apresenta Programa Nacional de Genética e Cancro

O grupo de trabalho dedicado ao cancro hereditário da Sociedade Portuguesa de Oncologia (SPO) apresenta o Programa Nacional de Genética e Cancro (PROGO), e promovem o lançamento de um portal informativo e educativo do cancro hereditário em Portugal.

O PROGO tem como principal objetivo uniformizar a prática clínica do diagnóstico genético de forma a garantir a universalidade dos cuidados a doentes e a portadores de síndromes hereditários de cancro.  

O programa será desenvolvido em várias vertentes: a uniformização de prática clínica através da publicação dos requisitos mínimos para teste genético em 2021 e de linhas orientadoras de atuação para cada síndrome hereditário, o programa educacional dirigido a médicos não geneticistas (e-learning) de modo a reforçar competências específicas; a disponibilização de informação a doentes e familiares com o intuito de aumentar a literacia da população em síndromes de predisposição familiar para o cancro e potenciar a capacidade de participação dos utentes no seu processo terapêutico, a proposta de circuitos de referenciação que assegurem todas as etapas de assistência aos portadores de síndromes hereditários de cancro.

Este programa visa ainda a criação de uma estrutura nacional necessária para uma organização em rede, permitindo uma melhor integração de Portugal na Rede de Referenciação Europeia. “Estamos a trabalhar em articulação com a Rede Europeia de Referência sobre Síndromes Genéticos ligados ao cancro (ERN-GENTURIS), e este portal servirá como plataforma para a divulgação das guidelines mais recentes, incluíndo as desenvolvidas e aceites a nível Europeu”, explica a coordenadora nacional da Rede Europeia de Referenciação, Carla Oliveira, investigadora no I3s e elemento do grupo de trabalho dedicado ao cancro hereditário da SPO.

Foi, também, criado um prémio anual de 25 mil euros, de incentivo à investigação do cancro hereditário, que premiará um projeto da área em cada ano. O vencedor será anunciado no Congresso Anual da SPO, em novembro.

“Dada a crescente importância do cancro hereditário no dia a dia de doentes e famílias, entendemos que se impunha a necessidade de definirmos padrões clínicos e uniformizar práticas ao nível da referenciação, diagnóstico e abordagem profilática! Queremos melhorar a prática clínica oferecendo a todos os doentes oncológicos com critérios para diagnóstico genético, este mesmo diagnóstico, definindo circuitos na abordagem de doentes e portadores assintomáticos e contribuir para a literacia facilitando o acesso à informação para a toda a população”, afirma Gabriela Sousa, coordenadora do grupo de trabalho.

“O teste genético poderá dar importante informação sobre a causa do cancro com impacto na decisão do tratamento e também ajudar os familiares saudáveis de doentes com cancro, sobretudo na estimativa do risco de poder vir a ter doença e na oportunidade de decidir medidas redutoras de risco”, acrescenta a médica oncologista.

Pode consultar o novo portal através deste link.

MGF 2020-30: Desafios e oportunidades
Editorial | Gil Correia
MGF 2020-30: Desafios e oportunidades

Em março de 2020 vivemos a ilusão de que algumas semanas de confinamento nos libertariam para um futuro sem Covid-19. No resto do ano acreditámos que em 2021 a realidade voltaria. Mas, por definição, a crise é uma mudança de paradigma. O normal mudou. Importa que a Medicina Geral e Familiar se adapte e aproveite as oportunidades criadas. A Telemedicina, a desburocratização e um ambiente de informação, amigável flexível e unificado são áreas que me parecem fulcrais na projeção da MGF no futuro.

Mais lidas