Vacinação COVID-19: só 2,5% da população respondeu 'não' ao SMS de agendamento
DATA
23/07/2021 17:03:38
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


Vacinação COVID-19: só 2,5% da população respondeu 'não' ao SMS de agendamento

O coordenador da task force da logística da vacinação contra a COVID-19 revelou hoje que apenas 2,5% da população respondeu ‘não’ à mensagem recebida para agendar a vacina. E quando houve mais filas, somente 2,7% faltou à marcação.

Henrique Gouveia e Melo, perante a Comissão Parlamentar de Saúde, onde está hoje a ser ouvido sobre o processo de vacinação, sublinhou, ainda, que “não há nenhum sintoma de falta de adesão às vacinas, mesmo nas faixas etárias mais novas”.

Questionado pelos deputados, o vice-almirante faz um balanço positivo da iniciativa Casa Aberta, explicando que as autoridades acabaram por usar este método para avançar com as segundas doses da vacina AstraZeneca, quando o intervalo entre inoculações passou de 12 para oito semanas. O coordenador considera que esta situação “não alterou significativamente os agendamentos, pois representava uma percentagem ínfima dos agendamentos diários”.

“Mesmo nos piores momentos, tivemos 7% dos centros de vacinação com mais de uma hora de espera”, afirmou Henrique Gouveia e Melo.

Se os jovens Médicos de Família querem permanecer no SNS e se o SNS precisa deles, o que falta?
Editorial | António Luz Pereira
Se os jovens Médicos de Família querem permanecer no SNS e se o SNS precisa deles, o que falta?

Nestes últimos dias tem sido notícia o número de vagas que ficaram por preencher, o número de jovens Médicos de Família que não escolheram vaga e o número de utentes que vão permanecer sem médico de família. Há três grandes razões para isto acontecer e que carecem de correção urgente para conseguir cativar os jovens Médicos de Família.

Mais lidas