SPP: Portugal está a perder sono em quantidade e qualidade
DATA
03/08/2021 14:16:57
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



SPP: Portugal está a perder sono em quantidade e qualidade

A Sociedade Portuguesa de Pneumologia (SPP) promoveu um inquérito revelador de que a maioria dos portugueses (65%) está insatisfeita com o sono durante o período de trabalho, cenário que se inverte em tempo de férias: 72% dos indivíduos dorme com satisfação.

 

Concretizado com o intuito de avaliar o impacto que o período de férias tem no sono dos portugueses, o questionário obteve 2.560 respostas, amostra representativa em 95% da faixa etária 19-65 anos e em 82% da população ativa.

No que reporta às horas de sono diárias recomendadas (7-9), durante as férias a maior parte dos inquiridos (82%) consegue cumpri-las; considerando o período de trabalho, a percentagem desce para os 54%, contexto em que é superior a percentagem de indivíduos com dificuldade em adormecer (47% versus 27%).

Questionados sobre o hábito de dormir a sesta, muito poucos (4%) são os que admitem fazê-la durante os meses de trabalho, registo que aumenta para 41% em tempo de férias.

De acordo com a SPP, “estes dados apontam para uma tendência de sono insuficiente durante o período de trabalho com maior probabilidade de insónia inicial, menor número de horas de sono e menor satisfação com o sono em período laboral: ou seja, estamos a perder sono em quantidade e qualidade”, assinalam as pneumologistas Susana Sousa e Sílvia Correia.

Destacam, ainda, ser “fundamental refletirmos sobre o sono e (…) a sua importância. Tem de ser uma prioridade na nossa agenda (…). A compensação do sono durante as férias não é a melhor estratégia: o objetivo é dormir o tempo que cada indivíduo necessita todos os dias do ano”. 

 

Governação Clínica
Editorial | Joana Romeira Torres
Governação Clínica

O Serviço Nacional de Saúde em Portugal foi criado e cresceu numa matriz de gestão napoleónica, baseada numa forte regulamentação, hierarquização e subordinação ao poder executivo, tendo como objeto leis e regulamentos para reger a atividade de serviços públicos no geral, existindo ausência de regulamentação relativa à sua articulação com os serviços sociais e económicos.

Mais lidas