COVID-19: Ordem dos Médicos congratula portugueses pela adesão às vacinas
DATA
13/09/2021 14:15:41
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



COVID-19: Ordem dos Médicos congratula portugueses pela adesão às vacinas

Ao registarem-se 18 meses de pandemia e nove desde o início do processo de vacinação, a Ordem dos Médicos (OM) felicita os portugueses pela adesão às vacinas contra o vírus SARS-CoV-2.

“O bastonário e o Gabinete de Crise para a COVID-19 da OM, no momento em que se assinalam os 18 meses da declaração da pandemia e os nove meses da maior campanha de vacinação de sempre em território nacional, vêm […] congratular os portugueses pela adesão à ciência, facto corroborado pela cobertura vacinal já atingida”, lê-se em nota enviada à agência Lusa.

Citando dados recentes do Eurobarómetro, que dão conta de que “os portugueses são os europeus para quem os benefícios das vacinas contra a COVID-19 mais superam os riscos (87%) e que mais defendem que a vacinação é um dever cívico (86%)”, a OM reconhece “o excelente trabalho de liderança, planeamento e organização da Task Force (…), que conseguiu atingir os objetivos de cobertura vacinal (…) em mais de 95% da população elegível com idade superior a 12 anos”, enquanto na população total “perto de 87% das pessoas têm já a primeira dose da vacina”.

A entidade agradeceu também “o excelente trabalho de liderança, planeamento e organização da Task Force de Vacinação que conseguiu atingir os objetivos de cobertura vacinal contra a COVID-19 em mais de 95% da população elegível com idade superior a 12 anos”, sendo que, na população total, “perto de 87% das pessoas têm já a primeira dose da vacina”.

O papel dos profissionais de saúde, que têm trabalhado “em condições muito desafiantes”, foi, ainda, merecedor de destaque no comunicado da OM.

Investir na Saúde é também investir na Formação
Editorial | Carlos Mestre
Investir na Saúde é também investir na Formação

Em março de 2021 existia em Portugal continental um total de 898.240 pessoas sem Médico de Família (MF) atribuído, ou seja, 8,7% da população não tem um acompanhamento regular com todas as medidas preventivas e curativas inerentes ao papel do especialista em Medicina Geral e Familiar (MGF).

Mais lidas